Fogo Sagrado: Paulo Veneziano: Dom do discernimento dos espíritos

25/nov 08:00
Por Prema Vydia

O mestre Ascenso Paulo Veneziano, senhor do terceiro Raio e iniciador dos nossos corações, relata uma experiência muito comovedora da sua vida como artista, na qual sua alma sensível sincronizada com Deus, suportou sem saber a dor alheia e (trouxe) depois consolação do Espirito da Ressurreição, que teve o poder de curar um anjo velado num (corpo) de carne:

“Eu lembro-me com tanta ternura do dia em que pela primeira vez desenvolvi quantidade suficiente do sentido divino para sentir que Deus e eu éramos um só. A manhã estivera nebulosa, e eu trabalhar longa e arduamente para tentar retratar a face de um anjo, mas por algum motivo, era como se há beleza celestial me escapasse, e nos meus nervos, percepções e sentimentos eu sentia uma dissonância.”

“Era estranho, porque há já algum tempo havia desenvolvido um sentimento de serenidade, de calma, de conhecimento, e procurava agora, fundamento nessa calma, serenidade e conhecimento, retratar um ser celestial, sendo me necessário beber profundamente da fonte da paz.”

“Por alguma razão que os meus sentidos Exteriores se revelavam incapazes de descortinar, onde a sua alma entrou no ritual da Ascenção em Abril de 1588, subindo ao Sol de Áries da qual descera, tendo verdadeiramente merecido o Controle Divino da divina arte do Ser.”

Em encarnações anteriores, Paulo prestara serviço no governo da Atlântida como encarregado dos assuntos culturais. Antes do afundamento do continente, estabeleceu um foco da chama da liberdade no Peru, que deu seu ímpeto à cultura, beleza e riquezada civilização dos incas. encarnou no Império inca como um artista que, fiel às suas cores, usava tintasque não desapareciam com o tempo. mais tarde, encarnaria como mestre egípcio da arquitetura esotérica e trabalharia com El Morya, então esmerado pedreiro – no tempo da construção das pirâmides.

O seu amor foi consumado nas suas obras. tal como ele disse: “a plenitude do amor não pode ser amor enquanto não se transforma em ação.A intenção do amor ou a mera repetição de palavras podem ocupar a fantasia do indivíduo, mas o amor em ação é a medida de um coração Unido com a mente e Alma.”

Paulo Veneziano e os irmãos do terceiro raio do amor divino com quem trabalha a partir de oitavas ascensasnão sonhadores indolentes, mais sim pragmatistas na senda do Espírito Santo. é através do terceiro raio que as qualidades do tato, diplomacia, arbitragem, paciência, indulgência, unidade, fraternidade, cultura, beleza e da perfeição do coração se manifestam.E é a chama rosa deste raio, com centro do fogo branco, que pulsa a fim de exteriorizar o plano divino no cálice do ser do homem através do corpo (branco) e sangue (Rubi) do Cristo universal.

Assim a senda do terceiro raio sob a direção do grande senhor, o Maha Chohan, que é o supremo artista das nossas vidas, abrange a arte divina da criação do homem – por Deus e pelo homem como co-criadores – e a decisão de “descriar” pelos fogos sagrados da transmutação tudo aquilo que se opõe ao sagrado e ao divino.

E assim,o relógio cósmicoe a chama violeta todo-consumidora são fundamentais a qualquer curso no retiro de Paulo que,  enfim, constitui um curso de auto expressão que conduz auto expressão dor [eu] divino. O objetivo deste ritual é portanto criar, ou recriar, o gênio em todos os Campos. E a disciplina da psicologia como estudo das progressões da alma, de oitava em oitava, é o círculo da vida traçado em torno da totalidade deste curso que seguimos com os adeptos do terceiro raio e do Espírito Santo.

Examinai agora a forma como o Mestre as aborda, e rapidamente vereis que vos encontreis na presença de um Mestre Psicólogo para quem a Arte Divina em todas as suas ramificações se tornou o modus operandi para ele e os seus estudantes atingirem a Consciência Cósmica.

“As pessoas têm um sentimento de falta de valor e creem que só uns poucos são capazes de inventar e criar” diz ele. “Mas estou aqui para dizer-vos que, encerrado no coração de cada um de vós, existe uma ideia única de Amor que podeis criar para benefício do vosso próximo e para progresso da Cultura da Mãe Divina. Talvez seja uma invenção, talvez seja um poema, talvez um desenho geométrico, mas é um dom que somente vós podeis criar.”

“infelizmente, muitos de vós tem mantido esse dom no vosso coração durante encarnações sucessivas, simplesmente porque ninguém vos disse que podíeis manifestá-lo, que podíeis criá-lo, que sois seres de Suprema criatividade…”

“Não duvideis que, mesmo no vosso estado presente,possais elevar-vosrapidamente – qualquer que seja o desenvolvimento espiritual por vós alcançado – para [obter] uma maior mestria pessoal e maior controle dos fogos da criação. Sim, porque na realidade, os fogos da criatividade mantidos no campo de força de um homem determinam aquilo que ele pode realizar durante o seu período terreno.”

Últimas