Flu enfrenta Barranquilla no Equador e aposta em Fred para se manter invicto

06/maio 06:00
Por Estadão

Em meio a um cenário de incertezas desencadeado por protestos na Colômbia, o Fluminense enfrenta o Junior Barranquilla nesta quinta-feira, às 21h (horário de Brasília), para se manter invicto na Copa Libertadores, vencer a segunda e permanecer em situação confortável no Grupo D.

O jogo seria disputado às 19h na Colômbia, mas, na véspera da partida, a Conmebol alterou o horário e local devido às manifestações populares contra a reforma tributária do governo colombiano e também contra a violência policial. A partida foi transferida para Guayaquil, no Equador, com a intenção de evitar problemas na Colômbia. Os protestos começaram há uma semana em diversas cidades do país, com confrontos entre manifestantes e forças policiais. Há 19 mortes e mais de 800 feridos até o momento.

Quando soube da mudança, a delegação do Fluminense já estava em Barranquilla. Assim, teve de refazer seu planejamento e pegar um novo voo para chegar ao Equador. Todas as outras partidas de torneios organizados pela Conmebol que estavam marcadas para a Colômbia nesta semana foram retiradas do país.

A mudança de local causou indignação no Fluminense, que confiava que o local do jogo seria mantido e recebeu sinal verde da Conmebol para viajar à Colômbia. A cidade equatoriana fica a aproximadamente 2.200 km do município colombiano, um trajeto percorrido em cerca de cinco horas e meia de avião. Desta maneira, os jogadores e comissão técnica tiveram menos tempo para descansar.

O time carioca decidiu manter a programação e treinar no estádio Metropolitano em Barranquilla na tarde de quarta-feira para dar continuidade aos trabalhos físicos e técnicos de seus atletas. Depois, conseguiu um voo fretado para Guayaquil. Na semana passada, o clube já havia enfrentado uma odisseia para encarar o Santa Fe.

O Fluminense soma quatro pontos no Grupo D da Libertadores, fruto do empate com o River Plate na estreia e do triunfo sobre o Santa Fe na semana passada, fora de casa. O Barranquilla tem um ponto e ainda não venceu na competição.

“Poder voltar à Libertadores é sempre bom, ainda mais agora, mais adaptado, com mais confiança e vindo de bons resultados. Vai ser um jogo muito importante e espero fazer meu melhor para conquistarmos mais uma vitória”, disse o zagueiro Luccas Claro, que vai completar nesta quinta 50 partidas pela equipe. Ele é um dos principais jogadores do elenco.

Hudson não será nem opção no banco de reservas. O volante teve constatada em exame ruptura do ligamento cruzado anterior do joelho direito e precisará passar por uma cirurgia. O jogador de 33 anos se machucou no duelo contra a Portuguesa, no último domingo, pela ida da semifinal do Campeonato Carioca. O outro desfalque é Egídio, que cumpre suspensão pela expulsão no jogo diante do Santa Fe. Danilo Barcelos será o titular na lateral esquerda. Existe a possibilidade de Cazares começar entre os titulares.

O grande trunfo para o Flu conquistar mais uma vitória na Libertadores é o artilheiro Fred. O experiente atacante marcou os três gols do time até aqui no torneio e se tornou o segundo maior goleador da história do clube, com 185 gols.

APOIO AOS PROTESTOS – O Junior Barranquilla afirmou que todos estão focados somente na partida desta quinta. No entanto, os jogadores não estão alheios ao caos social no qual o país está imerso. Vários atletas se pronunciaram em suas redes sociais em apoio à manifestação popular, como o lateral-direito Viáfara, o meia Fredy Hinestroza e os atacantes Sandoval e Teo Gutiérrez. Eles também criticaram o governo.

Borja, que ainda pertence ao Palmeiras e está emprestado, é a aposta para a equipe desencantar a vencer a primeira no torneio. O atacante vive grande fase e já balançou as redes 12 vezes em 19 partidas neste ano.

Últimas