Florescer: fotógrafa promove projeto que relaciona características das mulheres às flores

  • 14/01/2018 08:00

    Como contar uma história sem precisar pronunciar ou escrever uma palavra sequer? Profissional ou amadora, a fotografia representa a janela para a alma do homem; um registro capaz de refletir tanto aquele por trás da câmera quanto quem é fotografado a partir da captura de um instante. Não é à toa que dizem que uma imagem vale mais que mil palavras. Prova disso foi um projeto promovido pela fotógrafa Carol Lima em que modelos tiveram as características mais marcantes de suas personalidades retratadas a partir de flores que compuseram o cenário do ensaio.

    Sua trajetória profissional na fotografia começou não faz muito tempo. Em abril de 2017, a jovem de 20 anos decidiu sair do emprego fixo na área de vendas no qual trabalhou por dois anos para se dedicar exclusivamente ao seu sonho; um sonho que já havia começado a ser escrito, mas que se restringia a coberturas de eventos e aniversários aos fins de semana.

    “Foi uma decisão muito difícil de ser tomada porque, ao mesmo tempo em que eu podia permanecer na minha zona de conforto, eu também poderia correr atrás do meu sonho, o que significava um salário incerto, mas, acima de tudo, uma oportunidade de fazer algo que amo. Eu atingi o patamar em que não é você que decide, e sim a profissão que decide por você. No meu caso, a fotografia me chamou.”

    Em julho do ano passado, Carol Lima deu início ao primeiro projeto pessoal de sua carreira. Intitulado ‘Florescer’, ele consistiu em retratar modelos e suas características predominantes por meio de flores presentes no cenário do ensaio. Apesar de, aparentemente, terem servido apenas como plano de fundo, elas desempenharam um papel essencial nas fotografias visto que, a partir de seus nomes, cores e texturas, foram capazes de transmitir o que há de mais íntimo sobre as mulheres abordadas.

    “Eu busquei algo com que me identificasse. Decidi evidenciar a troca do ser humano com a natureza, enfatizando o que eles têm em comum. Depois de descobrir aspectos sobre a personalidade das modelos, conduzi um ensaio em que cada pessoa estava em contato com flores que as descreviam. No caso da modelo Jéssica, por exemplo, escolhi a flor ‘Perpétua’ que, como o próprio nome já indica, não perde sua essência e jeito de menina, mesmo se tornando mais mulher a cada dia”.

    Outro projeto realizado no ano passado do qual se orgulha foi um ensaio promovido na Rua 16 de Março, na época do Natal Imperial. A fotógrafa fez uso do estilo fotográfico ‘Tumblr’, inspirado na plataforma de imagens de mesmo nome, e que se tornou tendência entre blogueiras e youtubers. O cenário escolhido foi o Túnel de Luzes e o que não faltaram foram pisca-piscas.

    Carol Lima, que pretende se concretizar em retrato feminino em Petrópolis, busca promover a confiança das mulheres por meio de seu trabalho, tendo em mente o papel exercido pela fotografia na autoestima. Ela fez três cursos profissionalizantes em 2017, fotografia geral, edição de imagens e uso de flash; e pretende continuar a se especializar em 2018. Uma outra meta que tem para este ano é abrir seu próprio estúdio.

    Para Maria Antônia, uma das flores escolhidas foi a 'Zinia', que tem um longo período de florescimento e a possibilidade de novas flores após cada colheita. Ela foi responsável por transmitir a alegria exalada pela modelo e um dos traços principais de sua personalidade: a persistência.


    A flor que retratou Vitória foi a 'Statice', conhecida por sua beleza duradoura e por, assim como a modelo, encantar a todos que a rodeiam.


    No caso da modelo Jéssica, a flor escolhida foi a ‘Perpétua’ que, assim como o próprio nome já indica, não perde sua essência e jeito de menina, mesmo se tornando mais mulher a cada dia.


    Fotógrafa Carol Lima (Foto: Giovani Garcia)

    Últimas