Fiscalização do Procon estadual descarta 83 kg de alimentos impróprios em dois mercados

13/jan 17:42
Por Redação Tribuna

Nesta quarta-feira (13), o Procon Estadual do Rio de Janeiro realizou ação de fiscalização em Petrópolis, para apurar denúncias de consumidores. Os agentes vistoriaram supermercados, restaurantes, shopping center, bancos e farmácias. Carnes, frios e margarinas foram inutilizados. Nenhuma das agências possuíam caixa adaptado para cadeirante.

Segundo informações do Procon, no supermercado Megadeli, os agentes descartaram 62 kg de alimentos que estavam sem data de validade e manipulação ou mal armazenados, já no Extra, foram 21,2 kg. Nos estabelecimentos não havia preço em alguns itens, nem balança para uso do consumidor, além disso, os caixas preferenciais para cadeirantes estavam fora das normas legais.

Fiscais visitaram as agências do Banco do Brasil e Itaú, no Centro. (Foto: Divulgação Procon-RJ)

Os fiscais averiguaram as agências do Banco do Brasil e Itaú. Segundo o órgão de defesa do consumidor, ambas não realizam autenticação eletrônica que comprova o pagamento no próprio boleto, divergindo da legislação. E não possuem caixa eletrônico adaptado para cadeirantes. No Itaú, os agentes identificaram que o guarda volume fica localizado fora da agência, gerando maior risco ao consumidor.

Na Drogaria Boa Saúde, os agentes não encontraram a revista com informações sobre o preço máximo ao consumidor atualizada, assim como não existia preço em alguns produtos expostos.

De acordo com o Procon, não foram encontradas irregularidades no Shopping Center Pedro II, na Drogaria Galanti, nem no Suprema Grill Restaurante. Nestes dois últimos, os fiscais orientaram quanto à marcação no chão da fila,  o que foi acatado de imediato.

Últimas