• Febre aftosa: Segunda etapa da campanha de vacinação é destinada aos bovinos e bubalinos com até 24 meses de idade

  • Continua após o anúncio
  • Continua após o anúncio
  • 09/nov 18:06
    Por Redação/Tribuna de Petrópolis

    O Estado do Rio de Janeiro realiza até o fim de novembro a segunda etapa da vacinação contra a febre aftosa. A Secretaria de Estado de Agricultura, Pecuária, Pesca e Abastecimento (Seappa) espera que 100% do rebanho de bovinos e bubalinos, com até 2 anos, seja imunizado. O objetivo é atingir a meta de cobertura estabelecida pelo Ministério da Agricultura para que o Estado alcance o status de “zona livre da febre aftosa sem vacinação”, já em 2024.

    “Somente cinco estados no país têm essa classificação. Atualmente, o Rio de Janeiro é considerado uma “zona livre da doença com vacinação”. E estamos a um passo de mudar esse status no ano que vem. Assim, é necessária a colaboração de todos os pecuaristas fluminenses para atingir a meta. A participação dos produtores sempre foi de extrema. Reforçamos a atenção ao prazo: não deixem de vacinar o seu rebanho até o fim de novembro. É o momento de responsabilidade compartilhada”, destaca o secretário de Agricultura, Dr. Flávio.

    A Seappa ressalta ainda que esta fase da campanha, iniciada em 1º de novembro, tem como objetivo imunizar somente os bovinos e bubalinos de zero a 24 meses. A primeira etapa de vacinação, ocorrida em maio deste ano, foi destinada ao gado de todas as idades.

    Obrigatória

    A vacinação é obrigatória e o produtor que não imunizar e declarar a vacinação do seu rebanho pode ser multado e ter a propriedade interditada. O registro deverá ser entregue ou enviado até 5 dias após a imunização para um dos Núcleos ou Postos Municipais de Defesa Agropecuária.

    “A imunização é imprescindível para manutenção do estado com status de ‘livre da febre aftosa’. Assim, as atividades da Defesa Agropecuária são essenciais, pois melhoram a qualidade do que é produzido no Estado, unindo ganhos nos aspectos sanitários e econômicos”, conta o superintendente de Defesa Agropecuária, Paulo Henrique Moraes.

    Os contatos de e-mail dos Núcleos de Defesa Agropecuária podem ser acessados clicando aqui e o formulário de declaração de vacinação clicando aqui.

    Últimas