Falta de vagas de estacionamento para motocicletas é obstáculo para quem trabalha com delivery

  • Continua após o anúncio
  • Continua após o anúncio
  • 04/jul 16:24
    Por Helen Salgado

    Responsáveis pelo delivery, seja de alimentos, documentos e itens essenciais, como medicamentos, os motoboys que trabalham na cidade cobram melhorias para a classe. No Centro Histórico, as poucas vagas destinadas a motocicletas passam o dia ocupadas por motos de passeio, em maioria, por pessoas que trabalham no Centro. O que os motoboys chamam de vagas de carga e descarga, para entrega de delivery, por exemplo, é inexistente. 

    O dia a dia de quem vive sob duas rodas não é fácil, a situação piora ainda mais quando não há facilidade para trabalhar. O motoboy conta algumas das situações que vive no dia a dia em Petrópolis. “Às vezes temos que realizar entrega pra uma senhora que mora lá no 13º andar, a cliente não pode descer porque ela tem deficiência ou algum problema. Nesse caso, temos que deixar a moto encostada na via, quando a gente chega ou a moto tá em cima do reboque ou então somos multados”, reclama o motoboy, que pediu para não ser identificado.

    Observando as necessidades para a classe, o motoboy afirma que poderiam liberar mais vagas de motofrete na Rua do Imperador, em ambos lados da via, pois os motoboys não ficam parados o dia todo, apenas fazem as entregas e vão embora. Ele diz que as vagas oferecidas no Centro são todas direcionadas às motos de passeio. “A maioria de nossas entregas são no Centro e não temos onde deixar a moto. Um exemplo é o shopping Dom Pedro, não conseguimos parar lá pois fica lotado de motos (de passeio), temos que parar na frente do shopping em um recuo e somos multados na maioria das vezes”, reclama.

    Um outro motoboy que também trabalha com entregas no Centro, conta que enfrenta muitas dificuldades para carregar ou descarregar. “Já levei três multas por não poder parar, porém onde eu trabalho não tenho onde estacionar. Poderia ter um recuo próximo para os motoboys, tanto de Ifood quanto para motoboy fixo do estabelecimento. Os guardas de trânsito não entendem que é só para pegar mercadoria e ir embora”, diz.

    Projeto para implantação de novas vagas ainda está na fase de estudos

    Por meio de nota, a CPTrans informou que está fazendo estudos para determinar novos pontos para parada de motocicletas. Atualmente, são apenas sete pontos oficializados.  Localizados: na Rua do Imperador e na Praça Dom Pedro onde existem dois pontos, já na Rua Visconde de Souza Franco (Rua da Feira), na Rua Joaquim Moreira e na esquina entre as ruas Teresa e Aureliano Coutinho existe um ponto em cada local. Na Rua Oscar Weinschenck e na Rua 13 de Maio também existe estacionamento de motocicletas. Mas a CPTrans não informou qual a capacidade desses locais. 

    Os pontos de estudo informados pela Prefeitura foram na Rua do Imperador, em frente ao número 888, prolongamento da Rua Oscar Weinschenck e na esquina entre as ruas Tiradentes e Raul de Leoni.  Que ficam fora dos trechos de maior movimento, especialmente, para a carga e descarga, como reclamam os motociclistas. 

    Últimas