Exposição itinerante “Reflorescer Petrópolis” abre neste sábado, no Palácio Itaboraí

  • Continua após o anúncio
  • Continua após o anúncio
  • 14/maio 16:48
    Por Redação/ Tribuna de Petrópolis

    Abre neste sábado (14), e vai até o dia 28 de maio, a exposição Reflorescer Petrópolis – responsabilidade ambiental é um dever de todos, no Palácio Itaboraí, sede do Fórum Itaboraí: Política, Ciência e Cultura na Saúde, unidade da Fiocruz em Petrópolis. A mostra faz parte da campanha de comunicação co-criada por lideranças comunitárias petropolitanas que participaram do Fala Tu – curso de formação em comunicação comunitária, promovido pelo Fórum Itaboraí, em parceria com a instituição carioca Observatório de Favelas.

    A campanha tem o objetivo de fomentar o debate e conscientizar os moradores de Petrópolis sobre a importância de atuar no presente em prol da Justiça Ambiental. A exposição reúne banners com mensagens e chamados para a ação coletiva e vídeos que retratam depoimentos de moradores dos cinco distritos petropolitanos sobre como contribuem com o desenvolvimento sustentável.

    A mostra itinerante tem entrada franca e ficará no Palácio Itaboraí até 28 de maio, quando seguirá para algumas comunidades do município. O grupo também criou um perfil na rede social para divulgar a campanha: @falatu_2022

    Segundo o diretor do Fórum Itaboraí, Felix Rosenberg, a comunicação produzida e difundida a partir dos territórios é fundamental para o exercício da participação social. “Ao promover essa formação em comunicação crítica para lideranças comunitárias de Petrópolis partimos do pressuposto que a comunicação é um campo não apenas de estudo e prática, mas de direito. Nosso objetivo é apoiar essas pessoas e suas organizações coletivas na condição de protagonistas na construção de narrativas e também no acesso aos meios de difusão de conteúdos”, complementa Rosenberg.

    Criado em 2011, como um programa especial da presidência da Fiocruz em Petrópolis, o Fórum Itaboraí atua na formulação de políticas e práticas tendentes a reduzir as desigualdades sociais na saúde. Dentre as atividades, estão ações inter e transetoriais junto a diversas comunidades de Petrópolis, fomentando a participação social e o desenvolvimento e aplicação de tecnologias sociais nos territórios.

    Curso Fala Tu

    Fala Tu – curso de formação em comunicação comunitária foi realizado de janeiro a maio de 2022, reunindo 12 lideranças comunitárias atuantes em todos os distritos de Petrópolis, com 22 encontros online e presenciais, em um total de 54 horas de conteúdos teóricos e práticos, sob a liderança pedagógica do Observatório de Favelas (OF) – uma organização social que atua há 20 anos, dedicada à produção de conhecimento e metodologias visando incidir em políticas públicas sobre as favelas e promover o direito à cidade.

    Priscila Rodrigues, coordenadora de Comunicação do OF ressalta que ao se propor um espaço de construção coletiva, o início é conhecido, porém o resultado final é fruto da participação, engajamento e desejos dessa multiplicidade. “O percurso não foi simples, atravessamos juntos momentos difíceis [inclusive durante a tragédia socioambiental que viveu Petrópolis]. Mas começamos com um curso e saímos com um grupo. Um grupo forte, potente, sensível e com muita vontade de disputar uma comunicação de base comunitária e crítica em Petrópolis”, celebra Priscila.

    Maria Luiza Tavares é agente comunitária de saúde no bairro Amazonas, no Quitandinha, e uma das 12 lideranças comunitárias que recebe, também neste sábado (14), o certificado de conclusão do curso de formação em comunicação comunitária. “Os conteúdos que aprendi vão me ajudar muito no meu trabalho de sensibilização por um ambiente mais limpo, mais saudável e sustentável, que faço com as pessoas que frequentam o posto de saúde e as escolas do Amazonas. Além disso, participar do Fala Tu me possibilitou conhecer pessoas com diversos tipos de conhecimento, tanto os professores quanto pessoas de outros territórios de nossa cidade. Um espaço muito interessante para aprimorar meus conhecimentos e ações”, conta Maria Luiza, que diz esperar que haja mais cursos como esse.

    Últimas