Em 2021, APPO realizou mais de 1,4 mil atendimentos e mais de 170 acolhimentos

  • Continua após o anúncio
    Continua após o anúncio

  • 21/jan 14:05
    Por Redação/Tribuna de Petrópolis

    O trabalho da Associação Petropolitana de Pacientes Oncológicos tem muita visibilidade em Outubro, mês de conscientização e prevenção do câncer de mama, mas acontece durante o ano todo, com vários projetos, além do acolhimento a pessoas de outras cidades que vem fazer tratamento para a doença em Petrópolis.

    Durante todo o ano de 2021, a equipe multidisciplinar da Instituição, formada por profissionais das áreas de serviço social, psicologia, terapia holística, fonoaudiologia, nutrição e acolhimento, fez 1415 atendimentos, sendo a maior parte deles, no setor de psicologia, com 484 atendimentos, e serviço social, com 453. Nos atendimentos feitos pela equipe multidisciplinar, 37% eram pessoas com diagnóstico de câncer de mama, outras 13,7% com câncer de próstata, 6,1% com a doença no intestino e outras 5,1%, no reto.

    A Casa de Apoio, que acolhe pessoas em tratamento de câncer vindas de outras cidades, atendeu com a capacidade reduzida, de 30 para 13 atendidos, de janeiro a outubro de 2021, por causa da pandemia. Ao longo do ano passado, 174 pessoas foram acolhidas pela Casa de Apoio, com 122 acompanhantes. No mesmo ano, 723 novos usuários foram inseridos no sistema do SaudeOn, somando 1286 cadastros no total, até o último dia de 2021. Destas pessoas, 75,1% são moradores de Petrópolis.

    Além do atendimento multidisciplinar, a APPO oferece ainda toda a alimentação para os acolhidos e acompanhantes, que estão na Casa de Apoio durante o tratamento. Só em 2021 foram servidas 7.263 refeições, graças as inúmeras doações de parceiros, e também das contribuições colhidas pelo setor de telemarketing. O que torna possível toda a manutenção da Casa de Apoio, como pagamento das demais contas fixas e dos colaboradores.

    “Esse foi mais um ano difícil para nós, por conta da pandemia. Mas conseguimos nos reorganizar, voltar a capacidade normal da nossa Casa de Apoio, redobrando os cuidados em relação a segurança sanitária, para poder atender, da melhor forma possível todos que precisam do acolhimento e cuidado que a APPO oferece, em um momento tão difícil da vida, como o enfrentamento do câncer”, destacou Aline Barbosa, psicóloga da APPO.

    Os profissionais de psicologia e serviço social, com suporte e envolvimento de todos os outros setores, promoveram 12 encontros com os acolhidos na Associação, um grupo de convivência e fortalecimento de vínculos,  totalizando 83 participantes. Além disso, outras atividades foram desenvolvidas, como aulas de artesanato, que foram 5, duas tardes da beleza e 24 visitas da Capelania, com 171 participantes nas atividades coletivas.

    Outra ação desenvolvida pela APPO, que faz grande sucesso e tem adesão por parte da população, é o Projeto Fios de Amor. Só em 2021 a instituição recebeu 146 doações de cabelo, e realizou doações e concessões de 140 de perucas, 24 lenços, 44 bonecas Vitória, 21 gorros e/ou toucas de lã, 36 turbantes e 22 próteses mamárias.

    Já o Projeto Aconchego reiniciou as atividades em setembro de 2021. Nos últimos 3 meses do ano, foram feitos 8 acolhimentos iniciais e doadas 24 almofadas “coração que aconchega”, no HAC – Hospital Alcides Carneiro e na APPO.

    Como benefícios eventuais, a Associação Petropolitana de Pacientes Oncológicos concedeu um total de 196 materiais diversos, sendo eles: cadeiras de rodas (08), cadeiras higiênicas (07), muletas (05), colchões caixa de ovo (02), botas ortopédicas (02), andadores (07), tipoias ortopédicas (02), colar cervical (01), nebulizador (01), fraldas descartáveis (128 pacotes) e bolsas de colostomia (22). Também foram fornecidas 1.366 embalagens de medicamentos.

    Para todos os atendidos pela APPO, foram destinadas 627 cestas básicas, 46 cestas de Natal, 52 cestas de Páscoa e 10 pacotes de leite forte.

    Durante o Outubro Rosa, mês de prevenção e conscientização do câncer de mama, a APPO promoveu 62 palestras e/ou ações, que chegaram a 1.527 pessoas de todos os cantos da cidade. Além das rodas de conversa, teve coleta de exame preventivo, atendimento para exame clínico das mamas, participação da RadioSerra – Centro Regional de Radioterapia e do CTO – Centro de Terapia Oncológica em atividades integrativas realizadas semanalmente em outubro e a ação de encerramento, no Parque Municipal de Petrópolis, em Itaipava.

    Um outro grande marco de 2021, foi a entrega do Projeto de Lei de Cuidados Paliativos. O documento, elaborado por representantes da APPO, CTO, FNCC e Udam, foi entregue no dia 2 de dezembro nas mãos do então prefeito-interino Hingo Hammes. O Projeto de Lei propõe a criação de um Programa Municipal de Cuidados Paliativos na saúde pública do município, além de outras proposições. O objetivo é dar aos pacientes, acometidos pelo câncer ou outras doenças, que já não têm mais chances de cura, um sistema de apoio para que possam viver bem, minimizando sofrimentos físicos, sociais, emocionais e espirituais.

    “É extremamente gratificante poder contribuir para todo este trabalho, que muda a vida das pessoas. Fizemos este balanço, mas não estamos falando pura e simplesmente de números. Por trás de cada algarismo enxergamos uma vida e o quanto conseguimos levar de cuidado e esperança para cada uma das pessoas que estiveram conosco e que nos motivam sempre a continuar”, finalizou Ana Cristina Mattos, presidente voluntária da APPO.

    Mais informações sobre a APPO ou como se tornar um parceiro e mudar a vida de algum paciente oncológico, podem ser obtidas na sede da APPO – Associação Petropolitana dos Pacientes Oncológicos, localizada à Rua Visconde da Penha, nº 72 – Centro – Petrópolis – RJ, por meio do telefone fixo (24) 2242-0956, do WhastsApp (24) 99274-1377, do site www.appo.org.br, do e-mail appo@appo.org.br ou ainda das mídias sociais Facebook e Instagram @associacaopetropolitana.

    Últimas