Educação negativou Petrópolis no Cauc, o SPC das prefeituras

  • Continua após o anúncio
    Continua após o anúncio

  • 24/jan 02:58

    O Cauc, o “SPC” das prefeituras, é um sistema do governo federal onde os estados e municípios devem manter atualizadas as certidões negativas de diversos órgãos de fiscalização do país. Caso uma dessas certidões esteja vencida, não há repasse de verbas federais. É lógico que há itens do Cauc muito dinâmicos que vencem todo mês, podendo na hora da consulta ele estar negativo, mas fácil de ser resolvido.

    Educação é a vilã

    Hoje, o maior problema da Prefeitura são os relatórios da Educação. A Prefeitura não entrega o relatório resumido ao SIOPE (Sistema de Informações sobre Orçamentos Públicos em Educação) desde maio do ano passado. Até que José Luiz, que ficou três meses como secretário tentou resolver, mas não conseguiu.

    Sem polarização

    Será que resolve aqui em terras tupiniquins? Na França, para evitar polarização entre candidatos está sendo testado um modelo diferente de processo eleitoral considerando que cada eleitor avalia os candidatos como “muito bom”, “bom”, “regular”, “suficiente”, “insuficiente” ou “ruim”. Depois, na contagem se apura que quem teve mais preferências e menos rejeições, é o vencedor.  Este modelo está sendo testado nas eleições primárias da França cujos partidos iniciam a escolha de seus candidatos.

    Entra ano e sai ano – desde 2012 – e o Banco do Brasil, na esquina da Rua Alencar Lima, prédio histórico e tombado e um dos mais bonitos da cidade continua assim, se deteriorando e com tapumes para esconder como o prédio se desmancha.

    Desanimado

    Estamos preocupados. Já tem um mês que o ex-vereador Thiago Damaceno está nomeado como coordenador de Planejamento e ele nem falou sobre plantar um pau-brasil, seu mote de vida legislativo.

    Mudanças

    Uma das últimas  ações – e essa muito útil – da ex-gestão interina de Hingo Hammes  foi a volta do controle da bilhetagem para a CPTrans que Rubens Bomtempo tinha repassado às empresas. Isso mesmo, a CPTrans, mesmo sendo órgão gerenciador e fiscalizador do sistema, só tinha à mão os dados que as próprias empresas mandam.  Desfazer isso e retornar com a falta de controle pode ser mais difícil agora com o pessoal de olho.

    Moda

    Tá difícil ser comerciante de modas hoje na cidade com este tempo maluco. Tem lojista que mantém todas as estações e mais algumas em suas vitrines: tem roupa para quente, frio, mais ou menos e congelando. 

    Dispensa

    E a prefeitura dispensou todos os profissionais de educação física que atuavam nos Núcleos Ampliados de Saúde da Família, que funcionam atrelados às UBS e também nas Academias de Saúde.

    Família reduzida

    E a família Sabrá vai ficar mesmo com apenas um cargo na nova gestão.  Apesar de ter se aliado a Rubens Bomtempo e trabalhado até no gabinete dele na época de deputado estadual, Bernardo Sabrá não entrou em acordo para voltar a ser coordenador do Procon, cargo que ocupou na gestão Bernardo Rossi. O cargo vai ficar com Fafá Badia que já era coordenador da pasta na era do interino Hingo Hammes.  Mas, que loucura, né? É tudo junto e misturado mesmo.

    Só pra avisar

    A gente testou. Quando os vereadores, discursando, anunciam: ‘‘vou tirar a máscara para falar melhor”, não significa que, automaticamente, passem a falar corretamente. Só melhora o volume mesmo”.

    50 anos de arte

    Piccola Arena, misto de atelier, galeria​s​ de arte, teatro de arena​ ​e bistrô, no Rocio, recebe, sábado, ​a partir das 17h, ​a grande retrospectiva do artista Mauricio de Memória​, que completa 80 anos de vida e 50 anos de pinturas. No evento será lançado ​​o catálogo “Memória de Mauricio”​, com mais de 430 pinturas. Diego Teixeira, no violino, conduzirá o público pelas galerias no vernissage e haverá show com o duo Mano a Mano.  ​A mostra fica​ em cartaz até ​o ​dia 24 de abril. Durante este período será lançado o edital de ocupação do espaço para artistas que queiram expor no local em 2022.

    Maurício de Memória celebra 80 anos de vida e 50 anos de arte, mas a gente que ganha presente: lançamento de mostra e catálogo na Piccola Arena.

    Eu, hein!

    Bolsonaristas estão incomodados pelo fato de Paulo Mustrangi, vice-prefeito, ser secretário de Obras e também de Serviços Públicos e, com as duas pastas, ter um orçamento de R$ 181 milhões para 2022. ‘Um dinheirão desses na mão de um petista’, dizem.  Grandes coisa. Quando ele foi prefeito teve orçamentos em torno de R$ 800 milhões por cada ano. Agora se ele vai conseguir se eleger deputado com base no trabalho dessas duas pastas, aí já é uma dúvida.

    Contatos com a coluna: lespartisans@tribunadepetropolis.com.br

    Últimas