Edenilson diz que decisão de ficar no Inter ajudou a ser convocado para seleção

31/ago 14:50
Por Estadão

Alvo de clubes do exterior nas últimas janelas de transferências, o volante Edenilson afirmou nesta terça-feira sua primeira convocação à seleção brasileira à permanência no Internacional. Ele também atribuiu a chance dada pelo técnico Tite à regularidade que vem exibindo no clube gaúcho nos últimos anos.

“Foi tudo coisa de Deus, coisa planejada por ele. Recentemente tive conversas para sair, assim como tive em outros anos. Para mim, a coisa que mais faz sentido é isso. Estava escrito que não era para sair, que era para estar aqui hoje. Estou muito feliz”, declarou o jogador, um dos principais destaques do Brasileirão.

A última tentativa de um clube de fora aconteceu no mês passado, quando Edenilson recebeu proposta do Al Shabab, da Arábia Saudita. Ele decidiu permanecer no futebol nacional, apesar da fase difícil do Internacional, que chegou a ocupar a zona de rebaixamento na competição nacional.

“Estamos sempre sendo observados. De repente, eu poderia ter vindo em outras oportunidades, com o Inter em melhores condições. Mas essa regularidade no decorrer dos anos me ajudou a continuar ser observado. Agradeço a oportunidade, quero corresponder às essas expectativas e demonstrar por que estou aqui hoje”, comentou o volante.

Ele celebrou a primeira chance na seleção. “Quando acontece pela primeira vez a gente se pergunta, se vê pensando nos motivos. Acredito que a minha regularidade e crescimento dentro do clube como atleta e profissional foi o que me trouxe até aqui, o rendimento regular nesse período em que estou no Internacional e esse crescimento.”

Edenilson recebeu a oportunidade na lista extra de convocados por Tite, de nove jogadores, anunciados na semana passada. Os atletas foram chamados para suprir as ausências daqueles que atua no futebol inglês. Os clubes do país vetaram ceder seus jogadores por causa das restrições impostas pelo Reino Unido em razão da pandemia de covid-19.

O volante valorizou a opção do treinador nesta lista extra por mais jogadores que atuam no Brasil. “Acho que, por conhecer o professor Tite, ter trabalhado com a forma que ele trabalha, eu acredito que ele sempre olhou para o futebol brasileiro. Acredito que quem está na Europa está um passo à frente da gente. Valorizo essa convocação por estar com grandes nomes, mesmo sabendo da não liberação de alguns atletas que, merecidamente, estavam aqui. Quero aproveitar ao máximo. Isso valoriza também o nosso campeonato e tenho certeza que o professor Tite também está acompanhando todo mundo da mesma forma”, disse o volante, que atuou sob o comando do treinador quando defendeu o Corinthians.

Últimas