Economia com material escolar: Levantamento do Procon-RJ identifica itens da lista custando até três vezes mais caro de uma papelaria para outra

  • Continua após o anúncio
    Continua após o anúncio

  • 22/jan 09:46

    O Procon do Estado do Rio de Janeiro realizou um levantamento de preços dos principais itens que compõem a lista de material escolar. Uma pesquisa que coletou os preços de 415 produtos em 32 estabelecimentos localizados nas Regiões Metropolitana, Serrana, Lagos, Norte e Sul Fluminense, além de sites de papelarias na internet. E o resultado foi uma variação nos preços de itens que chega a 297% de um estabelecimento para outro.

    O levantamento foi realizado entre 10 e 19 de janeiro e avaliou produtos como lápis, apontador, borracha, caderno, caneta, cola, hidrocor, lápis de cor, giz de cera, massa de modelar, resma de papel ofício, tabuada, tesoura, corretivo, dicionário e agenda escolar.

    Em Petrópolis, a diferença do preço que pode ser encontrado em algumas lojas físicas quando comparado ao das lojas virtuais chega a quase 50%. Em um levantamento feito pela reportagem da Tribuna de Petrópolis junto à algumas lojas localizadas no Centro Histórico, o conjunto de 24 lápis de cor aquarelável Faber-Castell, por exemplo, que custa em algumas lojas R$ 49,90, pode ser encontrado a R$ 33,90 em lojas virtuais. Uma diferença de 47%. R$ 16. Já o caderno de 200 folhas da marca Foroni, com espiral e capa dura, além do tema time de futebol, pôde ser encontrado a R$ 24,90 em uma das papelarias de Petrópolis, enquanto em uma loja virtual o mesmo item foi encontrado a R$ 31,50. Neste caso, 26% mais caro na loja da internet.

    “O levantamento mostra que se o consumidor pesquisar, ele consegue economizar muito na compra da lista de material escolar. Reaproveitar itens do ano anterior também é uma boa forma de gastar menos. É importante lembrar que a instituição de ensino só pode solicitar itens de uso individual do aluno ou que sejam utilizados em atividades previstas no plano pedagógico”, observou o presidente do Procon-RJ, Cássio Coelho.

    De uma maneira geral, o levantamento do Procon-RJ aponta que se os consumidores que fizerem a pesquisa de preço em sites antes de finalizarem a compra pela internet vão conseguir fazer uma boa economia. Enquanto o apontador teve uma variação de preço de 297%, a massa de modelar chegou a 149%. Já a resma com 100 folhas ofício teve constatado valores de R$8,77 e R$ 4,20, oscilação de 109%.

    Na capital, o item que teve a maior variação percentual de preço foi a tesoura sem ponta. O produto de mesma marca oscilou até 272%. O caderno de 96 folhas foi encontrado por R$5,90 e também por R$16,00, uma diferença de R$10,10. A caneta é outro material escolar que está no topo do ranking, com variação de 266%.

    Na Região Serrana, a pesquisa apontou que a borracha teve variação percentual de 118%, enquanto a cola, 35%. O consumidor que comprasse a tabuada em uma loja, poderia pagar o dobro ao optar por comprar o mesmo item em outro estabelecimento. Já o conjunto de caneta hidrocor, era vendido por R$9,99 e R$4,49 em diferentes papelarias.

    O Procon-RJ informou que todas as comparações de preços foram feitas em relação aos produtos da mesma marca. Destaca ainda que nem todos os itens foram encontrados em todos os estabelecimentos verificados.

    Últimas