Criado para facilitar, letreiro dos ônibus acaba confundindo passageiros com informações trocadas

13/out 20:00
Por Raphaela Cordeiro

Criados para comunicar aos passageiros o destino dos veículos, os letreiros dos ônibus são a primeira coisa que os passageiros observam enquanto esperam no ponto ou no terminal. Por mais comum que o letreiro possa parecer para o nosso dia a dia, ele tem uma função fundamental para o transporte coletivo, e quando não operado da forma correta, pode trazer transtornos para quem depende do transporte.

A falta de informação correta nos paineis voltou a chamar a atenção de alguns moradores da cidade. A troca serve para avisar ao passageiro qual é o sentido da viagem. Reinaldo dos Santos Barros, morador do bairro São Sebastião, relata que, com o tempo memorizou o sentido e o número dos ônibus que atendem sua região, mas que o grande problema está para aqueles que viajam vindos de outra localidade e não tem a garantia de informação correta nos letreiros.

A maior denúncia é de que, na maior parte dos casos, os ônibus transitam com o nome do bairro, mas não informam o sentido da viagem.

Na rua Professor Cardoso Fontes, na Castelânea, passam várias linhas, tanto em direção ao Centro quanto em direção ao bairro. Segundo Reinaldo, nos dois sentidos da via, a troca de letreiro não tem sido feita da forma correta, levando prejuízo para a mobilidade urbana. Nesta região, a falta desta informação pode fazer o passageiro entrar em um ônibus incorreto.

Uma moradora da rua Professor Cardoso Fontes, que preferiu não se identificar, informou que sabe a direção das linhas por morar lá há muito tempo, mas, constantemente, precisa auxiliar pessoas de mais idade o destino dos ônibus. Isto porque, ali na região, está localizada a clínica Santa Júlia, que atende diferentes especializações.

Outro ponto, onde uma situação parecida acontece, é na Rua Dr. Sá Earp, via que liga o Alto da Serra ao Centro. Em dias de feira livre na cidade, os ônibus das linhas 419 (Sargento Boening) e 420 (Meio da Serra), trafegam por esta rua, tanto no sentido bairro quanto no sentido Centro. “Quase na totalidade das viagens, não existe a mudança correta dos letreiros nessa região também”, informou Reinaldo. “Lembrando que nesta via existe uma clínica oncológica, frequentada por pessoas do município, de várias regiões e de pessoas de outros municípios também”.

Apesar destes problemas, Reinaldo lembrou de uma situação em que a troca de letreiro feita da forma correta lhe ajudou muito. “Na via principal de Araras, trafegam carros sentido terminal Itaipava, terminal Corrêas e Centro da cidade. Ali, as trocas corretas dos letreiros fazem toda a diferença”.

As trocas são de responsabilidade dos motoristas e devem ser feitas sempre que o sentido da viagem muda. Mas nem sempre é o que acontece. “Alguns poucos motoristas, trabalham de forma correta. As empresas que orientam seus profissionais a adotarem as boas práticas, o fazem por iniciativa própria. As que não o fazem ficam reféns dos seus profissionais pouco comprometidos”, disse Reinaldo.

Em nota, o Sindicato das Empresas de Transportes Rodoviários de Petrópolis (Setranspetro) informou que nunca recebeu este tipo de reclamação, por se tratar de um procedimento simples. O Setranspetro informou ainda que vai reforçar internamente com os colaboradores a importância em manter o painel atualizado durante as viagens.

Últimas