Covid, com 932 vítimas, já matou mais que a tragédia de 2011 na Região Serrana

11/jan 02:00
Por .

O número oficial de mortos na tragédia de 2011 – que completa hoje 10 anos –  é de 918 pessoas.  E a covid-19, somando as cidades de Petrópolis (414), Teresópolis (285) e Nova Friburgo (233), já matou 932 pessoas. Ambos são números trágicos e um não supera o outro em dor, mas em 2011 foram 932 vítimas ao mesmo tempo, de uma só vez. Na pandemia, são mortes a cada dia, espaçadas.  Com as chuvas foi de repente, um susto, um pânico. Com a covid os números aumentam mais lentamente, mas são diários. Talvez por isso 2011 cause mais comoção, mas o número de 932 famílias que perderam um pai, um avô, uma mãe, um filho é gritante, uma dor que precisa ser cuidada e evitada, tanto quanto as mortes pelas chuvas.

Que casas?

A agenda do governador em exercício, Claudio Castro, amanhã, em Petrópolis, anunciou, inicialmente, que ele iria vistoriar obras de casas para desabrigados. Depois, mudou: ele não vai às unidades da Posse, até hoje cheias de problemas, parceria do estado com prefeitura, nem no Vicenzo Rivetti, que é uma obra do governo federal com a prefeitura. Ele vai anunciar apenas que vai pedir à União dinheiro para fazer mais 330 casas.

Mas, gente…

Depois, Claudio Castro vai lançar as obras da União Indústria entre Pedro do Rio e Posse, que já estão em curso, um tipo de lançamento retroativo. Depois, se reúne com empresários, entrega 10 chegues em programa de financiamento a agricultores e só. E passa a mão no toco.

Escaparam

Pelo menos o fato de não terem tomado posse livrou Paulo Mustrangi e Rubens Bomtempo de uma saia justa.  Porque se fossem hoje prefeito e vice tavam lascados com os 10 anos da tragédia de 2011 e nenhuma casa entregue em suas gestões.

Em alta

Com a triste marca de 80 mortes, dezembro foi o mês em que Petrópolis perdeu mais gente para a covid-19. E janeiro, com 20 mortes em apenas sete dias promete ser o mês que vai mostrar as consequências das aglomerações das festas de final de ano. Infelizmente.

E continua a saga de animais soltos nas ruas da cidade, O primeiro foi resgatado pela Guarda Civil na Paulino Afonso. O segundo, com saúde mais precária, até ontem à tarde estava procurando comida nas ruas do Carangola.

Tá estranho

Uma dúvida acomete os Partisans – considerando que os vereadores que estão indo  fiscalizar unidades de saúde estejam certos e tudo esteja funcionando: se são as mesmas chefias da época de Bernardo Rossi nessas unidades porque agora funciona e antes, não?

Tá liberado

Teve Partisans que achou que as palavras do presidente da Câmara, Fred Procópio, sobre a Câmara investigar a renovação, por 10 anos, do contrato com a SinalPark muito duras tendo sido ele um remanescente da gestão Rossi, onde foi secretário. Que nada! Ainda quando era prefeito Rossi “liberou” essa pauta para os vereadores baterem à vontade.

Ibope

Falando nisso, um Partisans ficou curioso: porque a Câmara de Vereadores criou uma comissão especial para analisar a renovação de contrato com a SinalPark, que opera o estacionamento rotativo e não criou uma comissão para analisar um contrato de quase R$ 10 milhões para aluguel de computadores e sistemas para a prefeitura? A gente responde: simples porque o de informatização não dá Ibope.

Liberou geral?

A pandemia já acabou e todo mundo já foi vacinado? Porque o aluguel de muitos espaços de festas em Petrópolis agora só tem vagas para fevereiro.

Unidos

Representantes da Cultura entregaram uma carta ao prefeito interino Hingo Hammes pedindo apoio e solução para os atrasos nos pagamentos à categoria. Eles apresentaram as pendências deixadas pela administração anterior, como o depósito da verba do Fundo Municipal de Cultura de 2020, que ainda não foi feito, e pagamentos pendentes do edital “Fique em Casa com Cultura”, que selecionou 100 projetos de vídeo com conteúdo cultural, além da publicação dos vídeos restantes.  A carta foi assinada por nada menos que 200 artistas.

Modelo

A Sociedade Brasileira de Cirurgia Bariátrica e Metabólica em parceria com o governo do Estado promoverá um mutirão emergencial no Hospital Carlos Chagas para realizar cirurgias bariátricas em pacientes que aguardavam na fila e já tinham realizado todas as etapas exigidas no pré-operatório para o procedimento. A ação servirá como modelo para o país.


A gente não sabe nem lidar com essa imagem deslumbrante do Trono de Fátima feita pelo Serra Drone.

Últimas