Coordenador do Enem deixa cargo após ofensiva do governo sobre a prova

  • 25/jan 10:49
    Por Eduardo Gayer / Estadão

    Responsável pela coordenação do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), o diretor de Avaliação da Educação Básica do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), Anderson Soares Furtado Oliveira, deixou o cargo nesta terça-feira, 25. Ele estava no posto havia apenas oito meses.

    A exoneração, assinada pelo ministro-chefe da Casa Civil, Ciro Nogueira, consta do Diário Oficial da União (DOU) e foi feita a pedido, segundo o governo. O posto será assumido por Michele Cristina Silva Melo.

    O pedido de demissão de Oliveira ocorre meses após uma ofensiva do governo sobre o conteúdo do Enem. No ano passado, o presidente da República, Jair Bolsonaro, chegou a dizer que a prova passaria a ter “a cara do governo”. Depois de críticas da oposição e até pedidos à Justiça para a suspensão do exame, o ministro da Educação, Milton Ribeiro, negou qualquer interferência.

    No entanto, como mostrou o jornal O Estado de S. Paulo em novembro, servidores relataram pressão para alterar questões. Houve, inclusive, supressão de itens considerados sensíveis para o núcleo ideológico do governo. O clima interno suscitou pedidos de exoneração em massa de funcionários de carreira do Inep, que viram assédio moral na ofensiva do Executivo.

    À época, como revelou a reportagem, Anderson Oliveira, agora fora do comando do Enem, chegou a examinar uma primeira versão da prova de 2021 antes de sua aplicação para estudantes de todo o País.

    Últimas