Continua impasse entre rodoviários e empresa de ônibus: paralisação não tem previsão para acabar

12/jan 15:43
Por Janaína do Carmo

Sem acordo entre rodoviários e a empresa de Cidade Real, a paralisação dos ônibus iniciada na manhã desta terça-feira (12) não tem previsão para acabar. Mesmo com uma liminar judicial obrigando o retorno das atividades, a circulação dos ônibus continua suspensa.

Segundo os rodoviários, as alegações da empresa para conseguir a liminar não são verdadeiras. Na petição, a empresa informou que houve piquetes e vandalismo na porta da garagem, no Independência.

Os trabalhadores garantem que a manifestação é pacífica. “Estamos reivindicando nossos direitos e o que foi colocado nessa petição não aconteceu “, disse um rodoviário.

A liminar conseguida pela Cidade Real permite o uso da força policial para que o serviço seja retomado e multa de 100 mil Reais pelo descumprimento da decisão.

A Cidade Real atende as regiões do Bingen, Mosela e a localidade do Elisia Mussel, no Caxambu. Cerca de 30 linhas deixaram de operar.

A Prefeitura de Petrópolis também entrou com pedido de medida cautelar para que os ônibus voltem a circular, mas até o momento, ainda não há decisão.

Em uma carta de reivindicações, a categoria pede a volta imediata dos cobradores; pagamento de horas extras e feriados; fim da hora do almoço ou intervalo, que segundo eles, é descontado das horas extras; ajuste nos horários de início e fim de jornada; promoção dos motoristas Junior. Além dessas reivindicações, a carta traz informações de que funcionários estão sendo coagidos a procurar a justiça quando buscam seus direitos e denuncia o superfaturamento nos valores das avarias nos veículos, que segundo a carta são cobradas dos colaboradores.. Até o momento, os trabalhadores permanecem na garagem da empresa, no Independência. Ainda não há acordo entre a categoria e empresa.

A Tribuna questionou a empresa Cidade Real sobre as informações contidas na petição, mas ainda não obtivemos resposta.

Procuradoria e CPTrans tentam viabilizar circulação dos ônibus

O Procurador Geral do Município, Fábio Alves, e o presidente da Companhia Petropolitana de Trânsito e Transportes (CPTrans), Luciano Moreira, estiveram no início da tarde desta terça-feira (12) na garagem da empresa Cidade Real na busca de diálogo com representantes da empresa, do Sindicato dos Rodoviários e de manifestantes que paralisaram os serviços pela manhã.

O governo atua como intermediador nas negociações. No local, os representantes do Município conversaram com funcionários e constataram que não há impedimento para a saída dos veículos. “A informação que recebemos é que a empresa está chamando funcionários que não estavam na escala de hoje para substituir aqueles que paralisaram as atividades”, afirmou Luciano Moreira.

Últimas