Começam as gravações do filme que contará a vida do Padre Quinha

07/fev 17:00
Por Luana Motta

Começam nesta semana as gravações do filme “Padre Quinha – Um coração sem fronteiras”, que contará a história da vida do padre petropolitano José Carlos Medeiros Nunes, mais conhecido como Padre Quinha. O projeto foi contemplado pela lei Aldir Blanc no ano passado. A previsão é o lançamento seja em maio deste ano.

A ideia do filme surgiu durante as comemorações de aniversário do Padre Quinha, através da campanha “Julho Verde” de propagação de esperança que inspirou a tradução da história de vida e dedicação de Padre Quinha para as telas de cinema.

“Durante as lives, único meio possível de comunicação devido à pandemia da Covid-19, percebemos com muita força o quanto a sua vida traz uma mensagem atual e necessária na busca de uma sociedade mais justa e fraterna”, disse a co-diretora do filme, Lucimar Danelon.

O projeto tem a participação de vários voluntários: Jaqueline Cleffs, da diretoria da Oficina de Jesus; a diretora, Diana Iliescu; Mariana Rocha e Gregori Bastos, na direção de fotografia; e a produção do Vinícius Gabriel, responsável por transformar a ideia em projeto.

Segundo o diretor Vinícius Gabriel, o documentário tem o objetivo de manter viva a memória de atenção e cuidado com as pessoas que o Padre Quinha tinha, sobretudo com os mais vulneráveis e invisíveis para a sociedade. O projeto também pretende divulgar e fortalecer as obras que Padre Quinha deixou, como a Associação Oficina de Jesus, entidade sem fins lucrativos criada por ele, que acolhe pessoas dependentes de álcool e/ou outras drogas e que por meio do cuidado integral compõe a Rede de Proteção Social do município de Petrópolis.

O filme terá a participação de João Henrique, irmão de Padre Quinha, dos padres que conviveram com ele e do bispo Dom Gregório. As locações incluem o Seminário Diocesano, a Escola Padre Quinha no Vale do Cuiabá, o sítio da Oficina de Jesus no Brejal, entre outras.

Depois do falecimento do Padre Quinha, aos 57 anos, em janeiro de 2013, a Diocese de Petrópolis vem dando continuidade às obras iniciadas por ele. O padre Rafael Soares, vigário da caridade assumiu essa missão. Ele conta que o objetivo do documentário é mostrar para as gerações futuras a história de vida e caridade do Padre Quinha.

“Sempre vi o Padre Quinha como o bom pastor, aquele que vai cuidar daquelas ovelhas que estão feridas, daquelas ovelhas que estão caídas. E eu tive essa graça de conhecê-lo assim e depois fui para o seminário, e aprendi muito com ele, principalmente ao ver a dedicação dele pelos mais necessitados. Quando padre, logo nos primeiros anos, falava com ele que queria ajudá-los mais. Mas não imaginava que um dia estaria nessa missão, conduzindo a obra que ele iniciou. Um documentário com a história do Padre Quinha é muito importante para manter essa memória viva para as gerações que estão chegando. Porque eu tive essa graça de conviver com ele, de estar com ele, aprender com ele. Mas muitos que estão vindo agora não conheceram. O filme ajuda a manter essa memória viva”, disse.

Últimas