Com média de 200 novos casos por dia, prefeitura prorroga medidas restritivas parciais, mas aglomerações continuam

13/abr 02:00

Sem mencionar os critérios usados mais uma vez, a prefeitura prorrogou medidas restritivas por mais uma semana. Mas, os petropolitanos reclamam: medidas restritivas, seletivas e sem fiscalização. Choveu denúncias nas redes sociais da Tribuna sobre o funcionamento das biroscas em bairros da cidade, algumas até com churrasquinho na porta no final de semana.  Leitores do jornal contaram que a folia acontece mesmo em ruas próximos à UPA de Cascatinha e ao Pronto Socorro do Alto da Serra onde equipes, exaustas, atendem aos doentes da covid e de outras enfermidades.

Números em alta

Em uma contagem de leigos, sem acesso a projeções e outros dados que o comitê científico (deve ter um, né?) pode abastecer o governo, só podemos dizer que em 21 dias de medidas parcialmente restritivas tivemos altas em mortes e infectados. Dia 26 de março eram 24.282 contaminados, número que subiu ontem para 27.120, um crescimento de 12%.  Já o número de mortes de 666 e que passou para 805, subiu 21% – neste caso algumas delas foram anteriores a 26 de março e só contabilizadas depois. Também podemos destacar que em uma semana fora 1.679 novos casos confirmados, média de 200 por dia.

Pacientes de fora

Um estudo do Observatório Covid-19, da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) mostrou a quantidade de pessoas que contraíram covid sendo atendidas, nos últimos meses, em outros municípios porque onde moram não há vagas suficientes. E uma delas é Duque de Caxias que internou no Rio, 462 pessoas em UTI, mais do que a própria capital que teve 436 internados. E Petrópolis também recebeu pacientes de Caxias: 172 em leitos clínicos e 40 em UTIs.

Diferença

A apresentação dos 100 primeiros dias de Eduardo Paes na capital mostrou que 76% das promessas de campanha – e que seriam instaladas no período – foram cumpridas; 7% ainda são parcialmente cumpridas e outras 17% ainda não foram implementadas. Aí, Partisans ficaram matutando: para um governo eleito em cima de promessas é bem mais complicado prestar contas porque, afinal, foram coisas prometidas. Um governo interino, como o nosso, não tem essas cobranças porque não foi eleito nem apresentou metas e promessas.

E os 100 dias da Câmara?

Falando nisso e os 100 dias de Câmara de Vereadores? Muito se falou dos 100 primeiros dias da gestão interina de Hingo Hammes que fez um balanço de suas ações. Mas e a nova legislatura que chegou para abalar? Qual o balanço?

Já são quase 2.500 visualizações no Youtube e no Facebook do espetáculo “Petrópolis Uma Cidade Imperial” que faz parte do #RetomadaCultural e foi veiculado como teatro/live, sábado, diretamente do Teatro Santa Cecília, com interpretação de Libras. Nesta foto você vê os atores sem máscara (pois todos foram testados contra o Covid-19) e a parte da equipe que trabalhou no dia da apresentação. Foto: Renne Raibolt.

Sem dormitório

De cortar o coração a revoada de pássaros, no final da tarde de sábado, procurando a árvore-dormitório ali na Pinto Ferreira. Circularam vídeos nas redes sociais mostrando mais de uns 200 pássaros desesperados no local. A árvore foi cortada na noite do dia anterior porque atrapalhava uma câmera de segurança.

Lentidão

A “obra” no Palácio de Cristal continua em ritmo de cágado manco. Esses dias a Comdep é quem esteve lá dando uma guaribada fazendo capina. E só.

Contagem

Petrópolis está há 103 dias sem prefeito eleito pelo povo.

Tá ruim na foto

Está bem periclitante a situação de Bernardo Rossi no PL, partido presidido por Altineu Cortes. Ele ficou chateado por Bernardo ter articulado a sua ida para o time do governador interino Claudio Castro, nomeado como subsecretário estadual das Cidades, sem a sua benção. Altineu ficou sabendo pela imprensa. E está magoado até hoje.

Machismo estrutural

O Bradesco teve de fazer uma nota oficial e um comercial para frisar que a Bia não pode ser vítima de assédio. Bia, no caso, é a inteligência artificial usada para atender os clientes.  É dose.

Vai ter volta

E teve Bernadetes – como são chamados os correligionários do ex-prefeito – aguardando até agora uma nomeação na gestão Hingo Rossi.  Tinham expectativa de serem nomeados nestes 100 dias de governo. Não foram chamados. A mágoa é grande.

Talento

Com apenas 16 anos, uma estudante da unidade Petrópolis do Colégio Pensi tem pelo menos três motivos para comemorar: Fernanda Fernandes Storti, que quer ser psicóloga, foi aprovada em três universidades norte-americanas: a Purdue University, a Indiana University e a University of Colorado Boulder. Além disso, ela aguarda aprovação na University of Washington e na University of Minnesota Twin Citie onde está em lista prévia para seleção.

Essa maravilha de entardecer é da grife de Paulo Lopez.

Contatos com a coluna: lespartisans@tribunadepetropolis.com.br

Últimas