Com maioria na Câmara, Bomtempo prepara reforma administrativa

  • Continua após o anúncio
    Continua após o anúncio

  • 16/jan 03:06

    Noves fora, Rubens Bomtempo já tem maioria na Câmara de Vereadores. Isso vai lhe dar leveza para aprovar uma reforma administrativa com a promessa de extinguir muitos dos mais de 700 cargos em comissão. Uma das mexidas mais sentida pode ser o Esporte e a extinção da secretaria criada por Hingo Hammes, ex-interino. Bomtempo esperava com a pasta alçar algum vereador como secretário para que um suplente de sua base assumisse. Mas, não deve concretizar. Assim, a pasta deve voltar a ser um braço do Instituto Municipal de Cultura ou da Educação.

    Votação das contas

     A maioria na Câmara também dará a Rubens Bomtempo a tranquilidade para ter as contas de 2016 – rejeitadas pelo Tribunal de Contas do Estado – sendo aprovadas pelo legislativo afastando qualquer possibilidade de punição por improbidade.

    Contrato

    Não há ainda nenhuma definição da gestão Rubens Bomtempo sobre o contratinho emergencial e maroto feito com a De Sá, uma construtora e empresa de recursos humanos, para empregar 1,1 mil pessoas na Secretaria de Educação por seis meses, custo de R$ 46 milhões, arranjo da gestão Hingo Hammes. Tanto que as matrículas, nas escolas, foram feitas por esses contratados… O contrato segue válido até março.

    Combo

    Falando nisso, foi uma estratégia colocar 12 pontos para segunda via de IPTU nas escolas? Porque assim quem tá indo fazer a matrícula da criança já paga pega o carnê para quita o imposto.

    Crise

    Um Partisans contou: no trecho da Rua do Imperador entre a esquina da Alencar Lima e o D’Ângelo nesta sexta-feira tinha oito vendedores de bala.  Não dá 300 metros de percurso.

    O Sicomércio Petrópolis distribuiu 2,7 toneladas de alimentos para instituições filantrópicas de Petrópolis. A ação faz parte do programa de segurança alimentar e nutricional Mesa Brasil Sesc RJ. As doações foram arrecadadas durante o Natal Imperial 2021 que contou com vasta programação na cidade.

    Janela partidária

    Entre 3 de março e 1º de abril, acontece a janela partidária, período em que vereadores, senadores e deputados poderão trocar de partido para concorrer às eleições sem perder o mandato. É uma data muito aguardada em Petrópolis.

    #ficaadica

    A gente achava que nunca precisaria explicar isso, mas é necessário: a quantidade de amigos ou seguidores nas redes sociais não garante que o incauto tenha o mesmo número de votos nas urnas. Assim, ter 10 mil seguidores no Instagram, por exemplo, não significa ter 10 mil votos.

    Engessados

    Alguns secretários de governo reclamam, com amigos mais próximos, da falta de independência em suas pastas. É, queridos. Vão se conformando.

    Conta!

    Partisans têm uma curiosidade em especial sobre o que Rubens Bomtempo vai fazer com o PAC das Encostas. O programa, de R$ 60 milhões, do governo federal, iniciou em 2013 e até hoje não foi concluído. E não adianta colocar a responsabilidade na gestão de Bernardo Rossi apenas porque 2013 era o primeiro ano do terceiro mandato dele próprio.

    Não rolou

    E lembramos que logo no início de janeiro de 2020 o governo interino de Hingo Rossi anunciou que estava contratando uma auditoria externa que iria apurar tudo: gastos, dívidas e falhas de gestão. Claro que não aconteceu. Com oito secretários herdados de Bernardo como Hammes iria proceder com isso. Ficou mesmo apenas para inglês ver.

    Ratinhooooooo! Corre aqui!

    E as gestões Hingo Hammes e Rubens Bomtempo disputam quem reativou a usina de asfalto a frio. Paulo Mustrangi, vice-prefeito e secretário de Obras e também de Serviços Públicos, gravou vídeo dizendo que recuperou agora a usina. Mas, em setembro Hingo Hammes já comemorava que a operação tapa-buracos em Corrêas era feita com asfalto da usina! E agora, quem é o pai?

    Taí Hingo Hammes, como interino, anunciando que colocou a usina de asfalto a frio do Quissamã para funcionar, em setembro. E Paulo Mustrangi, vice-prefeito e secretário de Obras anunciando que foi ele, agora este mês. DNA decidira a paternidade?

    Gastos

    O gasto de campanha de um candidato a deputado estadual em Petrópolis – considerando a forte vontade de ser eleger – beira os R$ 2 milhões. Para os que querem concorrer à Câmara Federal menos que R$ 4 milhões não garantem nada.  Só para os incautos saberem de quanto precisam.

    Contatos com a coluna: lespartisans@tribunadepetropolis.com.br

    Últimas