Cinófilo X cachorreiro

  • 25/05/2017 12:20

    Quem nunca desejou ter um animalzinho de estimação e foi atrás de bons preços antes de fazer a escolha? Apesar de comum, esse hábito pode esconder uma grande armadilha, que com frequência gera dor de cabeça aos novos donos do bicho.

    O veterinário Marcelo Assad lembra que os cães estão no topo da lista de preferências de quem procura um animal de estimação, mas a preocupação excessiva com o preço é um grave erro. “Olhando apenas para o preço, as pessoas nem sempre adquirem um animalzinho num lugar idôneo e acabam levando um grande problema para casa! A justificativa comum é que, por não estar procurando um animal para exposição, não é necessário procurar um criador renomado. Ledo engano! É muito importante saber diferenciar o criador sério (cinófilo) do fabricante de filhotes”, diz.

    O cinófilo é uma pessoa que visa o aprimoramento genético da raça que cria, selecionando os exemplares que irão reproduzir, para que as características inerentes à sua raça sejam cada vez mais típicas em seus cães. “Cada raça canina tem um padrão racial ditado por seu clube de origem e que descreve como deve ser um exemplar. Tais características foram selecionadas para que a raça possa desempenhar com sucesso uma determinada função. Por isso, os dachshunds (ou basset cofap como são conhecidos), por exemplo, são baixinhos, com as pernas curtas, para caçarem em tocas principalmente os texugos, assombro entre vários fazendeiros da Alemanha”, explica.

    Mas não só as características físicas ou morfológicas foram selecionadas. O temperamento também. “Afinal de contas, quem gostaria de ter um labrador – raça selecionada para recolher a caça abatida e trazê-la ao caçador – violento? Ele deve ser manso, pois trabalha solto nos campos”, lembra o veterinário. “O criador cinófilo seleciona estes exemplares e dele depende a perpetuação da raça que cria e, por isso, pode garantir o cão que criou. Este tipo de criador frequenta exposições caninas, submete seus exemplares à avaliação dos juízes que tem conhecimento técnico para isso”.

    Marcelo explica que o cachorreiro, por outro lado, é um tipo de criador que não está preocupado com as características da raça que cria, mas sim em produzir um grande número de filhotes para dele obter retorno financeiro imediato. “Ou seja: se seu reprodutor tiver um defeito morfológico, como, por exemplo, falta de pigmentação do nariz ou trufa, que deveria ser negro para evitar patologias relacionadas à sensibilidade ao sol, mesmo assim ele utiliza este animal na reprodução, transmitindo no mínimo, este fator genético adiante”, detalha.

    Além disso, segundo ele, muitas vezes não se preocupa com o bem-estar de seus animais, nem com alimentação de excelência e cruza suas cadelas por cios seguidos, levando-as à exaustão.

    Marcelo Assad diz que, quando a pessoa for comprar um cão de raça, é importante valorizar o criador cinófilo, que canaliza suas forças no sentido de criar bons cães. É possível se informar no Kennel Clube sobre os criadores.

    Últimas