Cidade se despede de Francisco Montemezzo: o padre italiano que deixa legado de fé, amor e caridade

07/maio 19:53
Por Luana Motta

Da porta da capela, no domingo de manhã, os fiéis esperavam ansiosos a chegada do padre. De longe avistavam um fusquinha azul, e quem estava dirigindo era um senhor de cabelos e barba branca: o Padre Francisco. Com uma pilha de folhetos de missa nas mãos e sempre cronometrado com o relógio, afinal, celebrava sete ou oito missas por domingo nas capelas e na matriz da Paróquia de Santo Antônio do Alto da Serra. Essa era uma cena comum para quem acompanhava o Padre Francisco nos fins de semana. E uma rotina que, com certeza, deixará muita saudade para os amigos e fiéis que conheceram o sacerdote.

Nesta quinta-feira (7), Francisco Montemezzo faleceu aos 83 anos. Ele estava internado no Hospital SMH e teve complicações após sobre um AVC. Era o pároco emérito da Igreja de Santo Antônio, no Alto da Serra, e atualmente atuava como vigário paroquial de Nossa Senhora do Amor Divino e diretor espiritual do Seminário Diocesano. Sua despedida foi durante toda esta sexta-feira, na Igreja de Santo Antônio onde foram celebradas sete missas de corpo presente. A última celebração, antes do sepultamento, foi feita pelo bispo diocesano Dom Gregório Paixão.

Durante sua homilia, o bispo lembrou dos gestos de fé e caridade que o Padre fez durante sua vida, e a perseverança que manteve ainda quando estava doente.

Exemplo de irmão, de caridade, presença firme de alguém que foi capaz de doar totalmente a sua vida. Não negando a Deus sequer a sua dor e partindo por ela para o reino definitivo. Quanta graça e quanta benção na vida desse homem que vemos aqui inerte, mas que agora pode definitivamente estar diante de Deus louvando a presença Divina. Porque ele não conhece a Deus apenas por causa da sua morte, ele se encontrou com Jesus Cristo através do contato com seus irmãos, através dos mais pobres, pela Eucaristia e fez com que sua vida fosse transparente diante daquele que é o Bom Pastor

Seus amigos de sacerdócio e aprendizes também lembram com carinho dos momentos compartilhados com ele, como o padre Alan Rodrigues, vigário paroquial da Igreja de Santo Antônio, no Alto da Serra.

Não houve um lugar da diocese que esse homem não tenha chegado. Ele e seu fusquinha azul estavam em todos os lugares, quase numa onipresença. Como todo super herói tem seu ‘batmovel’ seu fusquinha parecia ter vida própria e o levava para todos os cantos. Se chegasse em um lugar periférico ali estava o santo missionário, se chegasse a qualquer que fosse o hospital ou vias públicas: ‘o Padre Francisco acabou de sair daqui’

O sacerdote lembra que padre Francisco nunca saía de mãos vazias: sempre levava consigo um cobertor, um alimento para os mais necessitados ou uma palavra de consolo, uma mensagem. “Batizou metade da cidade de Petrópolis, casou mais gente do que o próprio Santo Antônio e quase bilocava [estar em dois lugares ao mesmo tempo] como Padre Pio”, brincou o padre.

O padre Fabiano Motta, sacerdote na comunidade terapêutica Fazenda da Esperança, conta que viu no padre Francisco um exemplo e referência na sua missão.

Padre Francisco é uma referência para todos os padres de nossa diocese e especialmente para mim, que cresci na sua paróquia. Ele se tornou verdadeiramente um pai para meu sacerdócio. Hoje reconheço muito dele na minha maneira de celebrar as Bodas, de receber um pobre e contar historinhas nas homilias… São as heranças que recebi dele e fazem parte do meu ministério em especial hoje na Fazenda da Esperança. Obrigado por tudo padre Francisco!

Quando Deus entra no coração de uma pessoa, a vida dessa pessoa muda”

Essa frase era um dos “jargões” mais usados pelo Padre Francisco. A frase é lembrada assim como as histórias que contava durante as homilias. Histórias simples com mensagens de evangelização que tocavam pessoas de qualquer idade. Nas redes sociais muitas pessoas lamentaram a morte do sacerdote e lembraram com carinho a devoção e o serviço de doação aos mais pobres, que era algumas de suas características mais marcantes.

“Padre Francisco batizou a mim e a meus irmãos ainda crianças. No aniversário dele de 80 anos levei as minhas filhas para que ele pudesse ver o quão maravilhoso é o ciclo da vida, e ele estava radiante. Ele é luz, que esteja agora contando aos anjos como era bom fazer o bem sem olhar a quem. Descansa Padre”, disse comentou uma seguidora, em uma publicação da Tribuna.

“Não tenho nem palavras para descrever quem era Padre Francisco, um ser humano, com um coração inigualável. Quando precisávamos de uma palavra de consolo, por qualquer motivo, ele estava sempre na paróquia, ou mesmo em nossas casas, com suas palavras sábias, para nos ajudar, fosse na doença, nos problemas do dia a dia com filhos, podíamos contar com ele. Deus está esperando esse Santo Padre Francisco de braços abertos, para sua morada eterna lá do Céu o senhor continuará olhando por todos nós”, disse outra seguidora.

Prefeitura de Petrópolis decretou luto de três dias e autoridades lamentam

A Prefeitura decretou na manhã desta sexta-feira (7), luto oficial de três dias pela morte do sacerdote. “Padre Francisco sempre foi um grande líder religioso. Ele marcou a história da nossa cidade com sua importante atuação no desenvolvimento social das comunidades. Figura carismática, sua dedicação e fé nunca serão esquecidas”, disse o prefeito interino Hingo Hammes.

Outras autoridades da política também publicaram mensagens nas redes sociais lamentando a morte do padre.

O secretário de saúde Aloísio Barbosa Filho publicou no seu perfil no Instagram uma foto do seu pai, o médico Aloísio Barbosa, sua mãe e o Padre Francisco durante a inauguração do hospital no Alto da Serra.

“Descanse em paz grande padre Francisco, um amigo que aprendi a conhecer com meu Pai, através da amizade de vocês, que lutavam sempre por aqueles menos favorecidos! Um homem dedicado as obras e ensinamento de Deus, lembro de várias ligações para o seu quarto no seminário e infelizmente pude acompanhar um pouco da sua internação recente no Hospital Unimed, mesmo com a memória debilitada pela doença que lhe acometia, sempre lembrava de mim quando entrava no quarto, com aquele sorriso que transmite a paz que muitas das vezes estamos precisando! Que Deus o receba de braços abertos e interceda por nós! Meus sentimentos a todos que assim como eu o admirava!”, diz a mensagem.

O deputado estadual Rubens Bomtempo fez uma publicação em seu perfil no Facebook lamentando a morte do padre. “Recebo com profunda tristeza a notícia do falecimento do padre Francisco Montemezzo. Sua missão de fé em Petrópolis jamais será esquecida, especialmente para a comunidade do Alto da Serra. Padre Francisco foi um pároco que sempre trabalhou pelos mais vulneráveis. Ele foi um grande amigo de meu pai, dr. Rubens de Castro Bomtempo”, diz um trecho da mensagem .

O subsecretário de Estado das Cidades, Bernardo Rossi, também se manifestou em seu perfil no Facebook. “Me recordo com muito carinho do Padre Francisco, que dedicou sua vida aos mais necessitados e sempre fornecendo um acolhimento e palavras de esperança. Tenho certeza que Deus o recebe agora de braços abertos, da mesma forma com que todos eram recebidos por ele”, diz um trecho da mensagem.

Últimas