Centro Administrativo no Alto da Serra vai custar R$ 1,2 milhão por ano só com aluguel

  • Continua após o anúncio
  • Continua após o anúncio
  • 24/jun 02:44

    A prefeitura anunciou com pompa e circunstância que o Centro Administrativo sendo transferido para o Hipershopping, no Alto da Serra, vai custar ‘apenas’ R$ 102 mil por mês.  Lá ficarão as secretarias de Administração, Obras, Saúde, Assistência Social, Meio Ambiente, Planejamento e Desenvolvimento Econômico.  Segundo eles, como o prédio na Barão tem aluguel de R$ 55 mil e iria passar para R$ 98 mil, mais o aluguel de R$ 21 mil, na Koeler, para o Meio Ambiente que deixará de ser pago, vai haver economia. Mas, noves fora, em um ano é um gasto R$ 1,2 milhão de aluguel.  

    Mais repartições pagam aluguel

    Porém, há secretarias e órgãos públicos que funcionam em outros imóveis alugados como a Defesa Civil (aluguel de R$ 19,6 mil), Guarda Civil (R$ 19,1 mil), dois galpões de manutenção viária (R$ 22 mil), galpão do Instituto de Cultura (R$ 2,7 mil), estacionamento ao lado do Palácio Sergio Fadel, na Koeler (R$ 5 mil), sedes dos conselhos tutelares (R$ 5 mil), farmácia popular (R$ 12 mil) e por aí vai, porque a lista é grande.  A estimativa é de mais de 90 imóveis alugados, gasto de R$ 6,4 milhões por ano.

    Já foi pior

    A situação de repartições públicas na prefeitura sempre foi um drama.  Mas, já foi pior. Até 1992 o Gabinete do Prefeito e parte das secretarias funcionava naquele puxadinho que tem atrás da Câmara de Vereadores. A situação acabou, parcialmente, no governo Fadel que comprou o Palácio, na Koeler, mas lá cabe apenas parte da estrutura. O restante vive aqui e ali de aluguel. Já passou da hora de a prefeitura ter um prédio próprio para abrigar as demais secretarias. 

    Não deu certo

    Teve aquela iniciativa, que foi um fiasco, na gestão Mustrangi, que é hoje vice-prefeito, de construir um edifício num terreno comprado por R$ 1 milhão, ao lado da Caixa Econômica. Mas, só depois da compra feita é que se deram conta que também não iria ficar bom e desistiram. Hoje a área é subutilizada e funciona como estacionamento rotativo.

    Adriana Carvalho, a Dri Corredora, ataca no asfalto e nas trilhas, tanto que fez, com essa imagem deslumbrante.

    Expertise

    Você confere aqui nas páginas de Cidade da Tribuna sobre a contratação pela Prefeitura, de forma emergencial, em abril, de uma agência de publicidade por R$ 350 mil por apenas dois meses para “ampliar as ações de divulgação das atividades empreendidas pelo poder público referente aos dados necessários à preservação da vida e da integridade física das pessoas bem como dos meios de acesso aos serviços públicos”. Há uma curiosidade em torno dos sócios da agência e sua experiência em campanhas eleitorais.

    Adoção

    Depois do Adote uma Praça, vem aí o Adote uma Quadra. Já está em vigor a lei e a meta é igual ao lance das praças: que empresas passem a cuidar desses espaços. Petrópolis tem quase 50 quadras comunitárias e pelo menos 40 praças.  Capaz de ter depois um adote uma rua, adote uma escola e por aí vai, transferindo para a iniciativa privada as competências da prefeitura…

    Eu, hein!

    Vocês acham que o dia 15 de fevereiro, data da tragédia das chuvas deve ser ponto facultativo nas repartições públicas? Pois essa é a proposta do vereador Yuri Moura. No que um ponto facultativo pode beneficiar a memória dos mortos?  A gente prefere trocar essa folga nas repartições por um trabalho eficiente que garanta que não vai acontecer de novo.

    Pepino para Bomtempo

    A extinção de 42 cargos em comissão na prefeitura, de assessores jurídicos nomeados pelo prefeito que fazem o papel de procuradores, vai ser uma lenha. É irregular, por isso a justiça determinou a extinção, mas, por outro lado, são apenas 10 procuradores concursados. Sem os comissionados, será difícil fazer andar todos os processos com celeridade…

    Adilson Sampaio, da Petiscaria Imperial, todo dia quando encerra o expediente, deixa ali no seu portão uns petisquinhos para o pessoal que mora nas ruas ter como forrar a barriga à noite.

    Economia

    Depois da poda radical das árvores em ruas do Centro Histórico como a Koeler e a Tiradentes vamos economizar nas luzes de Natal.  Se eram seis milhões de lâmpadas, vai cair à metade porque não vai ter galho de árvore para pendurar…

    Trânsito nos distritos

    Pessoal dos distritos pediu socorro aqui para a gente: caso a prefeitura não saiba, lá também tem escolas, algumas particulares, e movimento nos horários de entrada e saída em todas. Assim, o trânsito tem estado, como no primeiro distrito, uma coisa nestes momentos. Com o agravante que lá, tem eventos no Parque de Exposições às sextas-feiras e aí já viu…

    Contatos com a coluna: lespartisans@tribunadepetropolis.com.br

    Últimas