Casemiro relembra início da era Tite com a seleção no Equador e elogia o técnico

  • 25/jan 16:40
    Por Estadão

    O volante e capitão Casemiro relembrou o ciclo vivido na “era Tite”, que começou justamente no Equador, onde a seleção brasileira está para mais uma rodada das Eliminatórias da Copa do Mundo. Na primeira entrevista da seleção no ano, em Quito, o jogador do Real Madrid falou sobre a evolução após Tite assumir a seleção em uma situação turbulenta e elogiou a mentalidade do comandante.

    “Foi justamente no Equador, com vitória, que começou a era Tite. Claro que passa um filme na nossa cabeça. Sabemos que o Brasil estava contestado, não estávamos bem nas eliminatórias e aqui foi onde tudo começou. Logo depois conseguimos ganhar uma sequência de jogos importantíssima, trazer o povo para nosso lado. Conquistamos a Copa América e chegamos muito bem na Copa. Tomara que este seja um ano espetacular para nós outra vez. Hoje chegamos aqui com uma certa tranquilidade. Existem várias fases e tivemos mais boas do que ruins e tomara que seja assim até a Copa”, relembrou o capitão da seleção.

    “Estamos sempre trabalhando a parte de ser mentalmente fortes, Tite preza muito por isso e é um cara exigente, gosta de trabalhar com lealdade. Eu admiro muito a vontade dele querer vencer sempre”, continuou Casemiro.

    O confronto contra a seleção da casa nesta quinta-feira, às 18h, será diferente do que marcou a estreia do treinador, já que não haverá presença de público por conta da alta de casos de covid-19 no mundo. Casemiro disse priorizar a saúde e garantiu que escuta os profissionais da saúde. Vale lembrar que Renan Lodi, lateral do Atlético de Madrid, não foi convocado por não ter se vacinado contra a doença.

    “Claro que faz falta jogar com torcida, é a parte mais bonita do futebol. Eu escuto especialistas da área, que estudaram para isso. Então escuto que a vacina é importante, que o vírus ainda não foi embora, e então é preciso se cuidar. Prezo pela saúde em primeiro lugar, independentemente de qualquer coisa. Não sei por que o Renan Lodi não tomou, escutei que já tinha tomado a primeira dose, mas meu pensamento é tomar a vacina”, afirmou o capitão da seleção.

    O jogador do Real Madrid ainda falou sobre a forte disputa por posição nas convocações e sobre a evolução de Vinícius Júnior, seu companheiro de clube. Casemiro destacou a possibilidade de atuar com Fabinho e, sobre a rotatividade de atletas no meio-campo, brincou: “Não me tirando do time, tá ótimo.”

    “Aqui o nível de exigência é o mais alto possível, estamos encontrando uma equipe. Nos últimos anos venho atuando com diferentes jogadores. Recentemente tem sido o Fred. O Fabinho tem uma característica mais parecida com a minha, mas pode calhar se você quiser um time mais contundente”, analisou Casemiro.

    “É um período de adaptação. Se falarmos do Vinícius Júnior do Real Madrid, está sendo excepcional. Eu o vi crescendo, é normal o período de aprendizado. Com a seleção é outro estilo de jogo e adaptação, a concorrência é diferente. Cada lugar é uma história, quanto mais rápido se adaptar, mais importante para ele. O Tite tenta retomar o que o jogador faz pelo seu clube, então tenho certeza que o Vinícius vai continuar crescendo muito bem”, finalizou.

    A seleção brasileira fará treinamento em Quito na tarde desta terça-feira. Já classificado para a Copa do Mundo, o Brasil entra em campo na quinta para defender a invencibilidade nas eliminatórias e seguir se preparando para o Mundial do Catar.

    Últimas