Casa de Petrópolis promove viagem no tempo para visitantes

22/fev 16:09
Por Redação/Tribuna de Petrópolis

Já imaginou poder voltar ao tempo e visitar detalhes que eram característicos dos anos de 1880? E ainda poder caminhar e enxergar o que mudou na arquitetura e nas artes plásticas até chegar nos dias atuais? A Casa de Petrópolis, na Avenida Ipiranga, está promovendo esta verdadeira viagem no tempo. A exposição, que tem ingressos vendido a R$ 10 (inteira) e R$ 5 (meia-entrada), fica aberta para visitação até o dia 31 de maio, de quarta a domingo, das 10h às 16h. As terças-feiras o funcionamento é mediante agendamento para grupos pelo culturacasadepetropolis@gmail.com.

A mostra reúne artistas consagrados e proporciona esta viagem que passa pelo passado e presente e direciona os visitantes para o futuro. Obras de artistas, como Babinski, Burle Marx, Alcides da Rocha Miranda, Djanira, Claudio Kuperman, Beatriz Milhazes e Daniel Senise fazem transportar para o século 20. Uma das características dessa época, que já é um grande contraste com a arquitetura da Casa, foi negar a decoração e romper com os valores estéticos do século anterior.

Arquitetura do casarão histórico do século 19 contrasta com obras de artistas dos séculos 20 e 21/Foto: Divulgação

O casarão de estilo eclético possui traços marcantes do século 19, como a preocupação excessiva com decoração que é possível ver em cada detalhe, seja nas maçanetas ou até mesmo nos papéis de parede, cortinas e tetos. “É uma casa de uma família burguesa do século 19, que mistura estilos e tem essa preocupação em não deixar vazios”, afirma Luiz Aquila, artista plástico e idealizador da exposição “XIX XX XXI”.

O século 20, destaca Luiz Aquila, valorizou espaços simples e o “fazer artístico” deixando evidentes, por exemplo, as pinceladas nas obras. “O Modernismo tem uma preocupação quase ética com a franqueza e podemos ver que o processo é quase raivoso como na obra de Babinski”, disse Aquila.

Já as obras do século 21 mostram de forma evidente a expressão dos artistas. “O conceito passa a ser importante, assim como a criação de imagens por meios tecnológicos. Além disso, existe a ideia de ‘desutilização’ – resultados que surgem do que é útil, mas os artistas tiram a função e passam a ser expressivos”, afirma Luiz Aquila. Neste contexto, estão as artes feitas por Bel Figueira de Melo – as colheres decorativas vem do conceito de que “colher é de colher”. Também se encaixam no período as peças de cerâmicas feitas por Ana Rondon e as fotografias de Antonia Dias Leite.

Ainda dentro da arte do século 21, a mostra expõe uma escultura de Marcelo Lago feita com cilindros de PVC. A obra foi exposta propositalmente próxima a uma das janelas da casa o que faz com que a luz do dia contraste com o azul da escultura e a sala dourada do século 19. “Lago aquece o PVC para poder torcer, ou seja, deforma para dar uma nova forma”, explica Aquila.

A espontaneidade das obras que fazem parte da Exposição XIX XX XXI é um dos grandes contrapontos com a arte do século 19 em que tudo era premeditado. “Sem contar que a Casa de Petrópolis é um exemplar único que reúne as características de uma arquitetura tradicional do século 19. É muito sedutora! Naquele período já tinha os impressionistas, mas era uma vanguarda. O senhor burguês brasileiro do século 19 ainda não conhecia aquilo”, acrescenta Aquila.

Segundo Rachel Wider, diretora executiva da Casa de Petrópolis Instituto de Cultura, o que mais impressiona as pessoas que visitam o local é o grau de detalhes da Casa, o fato de que cada coisa foi escolhida a dedo para estar ali, além de serem originais. “Do ponto de vista histórico, termos elementos de três séculos nesta exposição nos permite observar como funciona a permanência e a impermanência e é também um exercício contra o anacronismo”, destaca Rachel.

A exposição XIX XX XXI marca a reabertura do casarão histórico ao público e faz parte do roteiro de visitação ao espaço. Ela apresenta obras de artistas de importância histórica para as artes plásticas, sendo alguns moradores de Petrópolis. A visitação ao espaço segue todos os protocolos de segurança sanitária da pandemia.

Quem quiser mais informações sobre a agenda cultural do espaço pode acessar os perfis “Cultura Casa de Petrópolis” no Facebook e Instagram.

Serviço:
Exposição XIX, XX, XXI
Data: até 31 de maio de 2021
Horários: Quarta a domingo, das 10h às 16h (terças-feiras mediante agendamento para grupos pelo culturacasadepetropolis@gmail.com)
Endereço: Av. Ipiranga, 716, Centro Histórico – Petrópolis-RJ
Ingressos: R$10 inteira / R$5 inteira

Últimas