Calendário de vacinação do público infantil contra a covid-19 é definido na cidade

13/jan 12:51
Por Redação/Tribuna de Petrópolis

O calendário de vacinação do público infantil – crianças de 5 a 11 anos – contra a covid-19 foi definido pelo município de Petrópolis e o treinamento dos profissionais para esta etapa da imunização, que abrange cerca de 26 mil pessoas e é diferente das anteriores, está sendo finalizado. Na madrugada desta quinta-feira (13), o país recebeu o primeiro lote de vacinas para o público infantil, e segundo o Ministério da Saúde, a distribuição para Estados e Municípios começa ainda hoje.

Calendário

A primeira semana de vacinação será destinada às crianças com comorbidades. O calendário prevê que o primeiro dia seja para a imunização de crianças com 11 e 10 anos; o segundo, para crianças de 9 e 8 anos e o terceiro, para pessoas com 7, 6 e 5 anos. O quarto e o quinto dia da semana serão destinados para todo o público-alvo, e, no sexto, um Dia D, com uma grande campanha para vacinar o público que não aproveitou a oportunidade inicial.

A segunda semana será destinada às crianças sem comorbidades, começando com dois dias voltados para a vacinação de meninos e meninas de 11 anos; outros dois dias destinados às crianças de 10 anos; dois dias para a vacinação de pessoas com 9 anos e um outro Dia D, com a convocação de todas as crianças sem comorbidades que perderam as datas anteriores. A programação segue com um dia para a vacinação de cada um destes públicos: crianças de 8, 7, 6 e 5 anos.

Treinamento para os profissionais

As mais de 200 pessoas envolvidas no trabalho de vacinação das crianças de 5 a 11 anos também estão sendo treinadas pela Secretaria de Saúde, uma vez que o processo tem diferenças em relação à vacinação de adolescentes e adultos. Para este público, será obrigatório um tempo de espera de 20 minutos, no ponto de vacinação – e, por conta disso, não é possível realizar a campanha no modelo drive-thru. Além disso, a dose da vacina é menor do que a dos adultos (0,2 ml, ante 0,3 ml) e, por isso, o formato da seringa – que ainda não foi enviada pelo governo federal aos municípios – também é diferente das usadas anteriormente.

“Estamos nos organizando com um planejamento adequado para garantir um processo organizado e célere, pois é nosso dever salvar o maior número de vidas possível”, disse a gerente de Imunização, Simone Sisnado.

Seis pontos fixos e outros 15 pontos itinerantes de vacinação

Haverá seis pontos fixos: as Unidades Básicas de Saúde do Quitandinha, do Itamarati, de Itaipava e da Posse; além do Centro de Saúde Coletiva e da Casa da Educação Visconde de Mauá. Para a vacinação nestes locais, é preciso fazer um cadastro prévio no site da Prefeitura.

Nesta etapa, a vacinação também será itinerante, com 15 pontos de apoio. Nestes locais, a vacinação será feita em uma data específica, ainda a ser divulgada, e não há a necessidade de agendamento. Importante dizer, também, que nestes casos a imunização será aberta para todo o público-alvo.

Dois destes pontos são instituições como o Lar Nossa Senhora das Graças, onde vivem 11 crianças; e o Lar Menino Jesus, onde residem quatro pessoas.

Os outros locais estarão em áreas próximas a Unidades Básicas de Saúde (UBS) ou Postos de Saúde da Família (PSF). Confira as regiões atendidas:

  • Alto da Serra
  • Alto Independência
  • Duques
  • Amazonas
  • Primeiro de Maio
  • Duarte da Silveira
  • Fazenda Inglesa
  • Rocio
  • Escola Municipal Fábrica do Saber (entre a Estrada da Saudade e Cascatinha),
  • Retiro
  • Carangola
  • Vale do Carangola
  • Bairro da Glória
  • Castelo São Manoel
  • Araras
  • Vale das Videiras
  • Manga Larga (em Itaipava)
  • Vale do Cuiabá
  • Quilombo da Tapera
  • Pedro do Rio
  • Vila Rica
  • Secretário
  • Brejal

Últimas