Cadelinha fica presa por uma semana na pedreira de Araras; resgate foi feito de rapel pelos bombeiros

  • Continua após o anúncio
    Continua após o anúncio

  • 16/jan 13:27
    Por Jussara Madeira

    Equipes do Corpo de Bombeiros fizeram na noite deste sábado (15), o resgate da cadela Meg, que estava presa em uma área de difícil acesso na pedreira de Araras. Os bombeiros precisaram usar equipamento de rapel para conseguir chegar até o animal. Meg está em casa e continua com acompanhamento veterinário, mas passa bem. 

    A cadela, que tem um ano de idade, desapareceu na sexta-feira, dia 8. A operação de resgate da Meg contou com bombeiros do 15°GBM – Petrópolis, do Destacamento de Itaipava e ainda com o apoio do 1° Grupamento de Socorro Florestal e Meio Ambiente, do Alto da Boa Vista/RJ. 

    Após dois dias de buscas, os latidos de Meg começaram a ser ouvidos partindo da pedreira, contou a tutora Rosemere Dutra Freitas. Na segunda, o pai da Meg, animal que também vive com a família, ajudou nas buscas e também seguiu até a base da pedreira indicando que Meg realmente estava no local. Com a ajuda de amigos, os familiares fizeram várias buscas nos dias seguintes pela mata até uma moça que faz rapel subiu na pedra e conseguiu avistar o animal, mas devido ao difícil acesso, os bombeiros foram acionados. 

    Bombeiros usaram rapel para acessar o local onde estava Meg. (Foto: Divulgação/15º GBM)

    Com a indicação do local, o Corpo de Bombeiros iniciou a operação de resgate, que foi concluído por volta das 21h de sábado. Para chegar ao ponto onde dava acesso ao local onde a cadela ficou presa, os bombeiros tiveram que fazer uma trilha de duas horas e meia e ainda escalar e descer uma montanha de 90 graus, contou a comandante do 15º GBM, a tenente-coronel Elisangela Francisca de Matos. As equipes utilizaram uma corda de 200 metros e equipamentos de montanhismo para realizar a descida em rapel a fim de resgatar Meg.

    Equipes do 2/15 DBM – Itaipava e 1º GSFMA – Alto da Boa Vista participaram da operação de salvamento. (Foto: Divulgação/15ºGBM)

    Os familiares não sabem ao certo como Meg foi parar na pedreira, mas suspeitam que ela pegou uma trilha que dá acesso ao local. Logo após ser resgatada, a cadela foi levada para uma clínica veterinária, e mesmo após dias presa na montanha, não apresentava desidratação.

    “Ela está bem. Ontem levamos ela à clínica que fomos encaminhados pelo Domingos Protetor. Nos atenderam com muita atenção e carinho, e ela não estava desidratada. Fez exames de sangue e amanhã retornaremos para mais exames e ter a certeza que está tudo bem. Ela está se alimentando bem, brincando e voltando a nossa rotina. Foram dias de angústia e agora estamos aliviados”, contou Rosemere Dutra Freitas, tutora da Meg.

    Últimas