Biden anuncia planos para conter Delta, com novos requerimentos de vacinação

09/set 20:01
Por Matheus Andrade / Estadão

O presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, anunciou nesta quinta-feira, 9, uma série de medidas para estimular a vacinação contra a covid-19 e conter o avanço da variante Delta do coronavírus no país. Dentre os requerimentos de imunização, o democrata anunciou que empresas com mais de 100 empregados deverão exigir a que seus funcionários se vacinem, com a alternativa sendo a realização de testes semanais, algo que a o governo americano avalia que irá afetar 80 milhões de pessoas.

Além disso, Biden irá exigir a vacinação para todos os funcionários federais, medida que deve atingir 2,5 milhões de trabalhadores. “Mesmo com variante delta afetando país, temos ferramentas para conter o vírus”, afirmou o presidente. O democrata enfatizou a importância de um retorno às escolas de forma segura, e, além de exigir a vacinação dos educadores do sistema federal, pediu que os governadores façam o mesmo em seus estados. O plano também irá expandir as exigências de imunização entre os funcionários de saúde.

“Não podemos deixar não vacinados estragarem o progresso econômico que fizemos”, apontou o presidente, sugerindo avanços como a criação de empregos no país. “Vacinas funcionam, pandemia é entre não vacinados” repetiu o democrata. Ele apontou que 25% dos americanos não estão vacinados e “podem criar grande dano a todos”. “Não se trata de liberdade ou escolha pessoal. Trata-se de proteger a si mesmo e aos que estão ao seu redor”, afirmou o presidente, que também indicou que punições mais severas serão aplicadas para aqueles que se recusarem a usar máscaras em viagens. Biden declarou ainda que a “paciência” com os não vacinados está acabando.

Biden também anunciou apoio financeiro para pequenos negócios, incluindo linhas facilitadas de empréstimos. Segundo o democrata, seu plano aumenta o número de testes e protege a economia. “Destinaremos US$ 2 bilhões para testagem, para que todos tenham acesso gratuito” aos testes de covid no país, anunciou.

O presidente reforçou ainda a importância de conter a covid-19 além “das fronteiras”. Biden lembrou que os EUA doaram mais vacinas que “Europa, China e Rússia juntos”, e indicou que o país começou a doação de 500 milhões de imunizantes da Pfizer para países de menor renda.

Últimas