Bauernfest é reconhecida como Patrimônio Cultural Imaterial do estado do Rio

27/mar 13:59
Por Redação/Tribuna de Petrópolis

A Bauernfest agora é Patrimônio Cultural Imaterial do Rio de Janeiro. Foi publicada nesta sexta-feira (26), no Diário Oficial do estado, a Lei 9.229 de 25 de março de 2021, que reconheceu a Festa dos Colonos Alemães em Petrópolis como patrimônio cultural. O projeto de lei, na Alerj, foi uma iniciativa dos deputados Marina Rocha e Marcio Canella.

A festa acontece desde 1990, sendo o segundo maior evento de sua categoria no Brasil. Resgata as raízes germânicas da cidade com a chegada dos primeiros alemães em 1845. Marcada por muita dança e música folclórica, culinária típica e atrações culturais, tornou-se o maior evento da cidade nos últimos anos, sendo fundamental para a economia e importante fonte de renda para muitos petropolitanos.

O prefeito interino Hingo Hammes destacou a importância da lei sancionada, e disse que ela vem reforçar ainda mais a tradição da festa, que este ano chegará em sua 32ª edição mas, em virtude da pandemia, deverá ser realizada em formato virtual.

“Esse reconhecimento vem reforçar a importância cultural e econômica que a festa tem para a cidade, pois, além de resgatar a história e tradição da colonização alemã em Petrópolis, ajuda a fomentar nossa economia”, ressaltou o prefeito.

Opinião compartilhada também pelo secretário de Turismo, Samir El Ghaoui, que ressaltou “a satisfação e o orgulho com que o município recebeu a notícia da lei sancionada pelo estado, que fará certamente que a gestão do turismo e seus colaboradores se empenhem cada vez mais para fazer a Bauernfest retomar os patamares de excelência já alcançados em anos anteriores”.

O presidente do Clube 29 de junho, Marco Antônio Kling, também destacou a satisfação com que o clube e a colônia germânica em Petrópolis receberam a notícia da lei. Segundo ele, “este é mais um reconhecimento da cultura e das tradições do nosso povo, que ajudou a elevar Petrópolis ao cenário de destaque da cultura e do turismo nacional e internacional. Essa lei certamente vai ajudar a Bauernfest a retomar a sua posição de destaque e ficar ainda mais forte nos próximos anos”.

Kling fez questão de ressaltar que o reconhecimento se deve em muito ao trabalho desenvolvido pela ex-presidente do Clube 29 de junho, Emygdia Hoelz, que plantou a primeira semente da Bauernfest em 1983, com a realização do “I Festival Germânico” que, anos depois viria a se transformar em um grande evento em parceria com a Prefeitura de Petrópolis.

Na justificativa do projeto de lei, na Alerj, os autores ressaltaram a importância regional e nacional do evento, sua relevância no calendário turístico e cultural do estado e do país, possuindo uma identidade definida, que a cada ano inclui inovações que atraem novos visitantes, bem como seu público fiel. A proposta frisa ainda que a festa vem superando expectativas todos os anos, atingindo público recorde a cada edição. No ano passado, em virtude da pandemia, o evento aconteceu apenas de forma virtual.

De acordo com o art. 1º da Lei 6.459/2013, constituem o Patrimônio Cultural Imaterial do Estado do Rio de Janeiro os bens culturais de natureza imaterial que expressem e retratem a identidade, a ação e a memória dos diferentes grupos que compõem a sociedade fluminense.

Últimas