Acordo reduz tarifas na venda de carros ao Paraguai

  • 08/02/2020 14:25

    Na última terça-feira, em Assunção, o Brasil fechou o contrato de livre comércio automotivo com Paraguai. O acordo tinha sido desenhado entre os dois países durante a última cúpula do Mercosul e agora se torna oficial. Um acordo do mesmo tipo foi assinado em junho do ano passado com a Argentina e já existe um anterior a esse com o Uruguai. Esse foi o último de uma série de acordos de revisão do comércio automotivo entre o Brasil e os países do Mercosul.

    Leia também: Renault revela novidades da nova geração do Duster

    Pelo acordo, as peças e os veículos vendidos pelos dois países terão tarifas mínimas ou zeradas, mas o intervalo para o livre comércio variará entre os dois países. Os produtos automotivos paraguaios, peças e veículos, terão livre comércio imediato no Brasil. Os produtos brasileiros, no entanto, serão taxados em até 2% no Paraguai. As tarifas cairão gradualmente, por meio da aplicação de margens de preferências, até a liberação total do comércio no fim de 2022. Pelo acordo com o Paraguai, o comércio será liberado mais rapidamente do que com a Argentina, que prevê o livre comércio automotivo apenas a partir de 2029. Assinado em 2015, o acordo com o Uruguai eliminou as cotas de comercialização e permitiu a exportação sem imposto de todos os automóveis com mínimo de conteúdo regional sendo 55% de conteúdo fabricado no Mercosul para os carros vendidos pelo Brasil e 50% para os vendidos pelo Uruguai. As condições valem por tempo indeterminado ou até que todo o setor automotivo se adapte ao regime geral do Mercosul. 

    No fim do ano passado, quando o acordo foi anunciado, a associação das montadoras, a Anfavea, viu o acerto com o Paraguai como positivo, mas ressaltou que o mercado do país vizinho não é grande. De acordo com a entidade, as exportações de veículos ao Paraguai somam de cerca de 13 mil unidades por ano, o que representa apenas cerca de 3% do total de veículos enviados para fora do Brasil. Já o os ministérios da Economia e das Relações Exteriores, afirmam que o comércio de produtos automotivos entre Brasil e Paraguai tem crescido consideravelmente principalmente por causa das exportações brasileiras de automóveis e das importações brasileiras de autopeças, principalmente de chicotes elétricos. Segundo o governo federal, no ano passado, o Brasil exportou US$ 415 milhões para o Paraguai e importou US$ 235 milhões em produtos automotivos. 

    Últimas