Prefeitura anuncia obras em 20 escolas da rede municipal

Domingo, 14 de Janeiro de 2018


Texto: A - A A +
Compartilhar:
imagem noticias
Foto: Divulgação

Vinte escolas da rede municipal de Educação passarão por obras estruturais nesse mês de janeiro. Os espaços serão preparados para atender 3.770 alunos no início do ano letivo, marcado para começar no dia 5 fevereiro. Os reparos serão feitos nos telhados, parte elétrica, além de troca de pisos e pintura.

“Essas intervenções serão feitas emergencialmente ainda este mês para que as unidades estejam preparadas para receber os alunos no retorno das aulas. Grande parte das escolas precisa de reparos e ao longo do ano vamos realizar obras nos outros espaços educacionais”, disse o prefeito Bernardo Rossi.

A previsão é de que R$ 2,5 milhões que estão no orçamento da Educação para este ano sejam utilizados para grandes obras em outras 20 escolas. “As licitações estão sendo preparadas e a intenção é a de retomar as obras que foram paradas na gestão passada. Outras deverão começar ainda em 2018, como é o caso da adaptação da escola Augusto Meschick, na Rua 24 de Maio e do Ciep Municipalizado Santos Dumont, no Alto Independência”, explica o secretário de Educação, Anderson Juliano.

As intervenções terão início esta semana na E.M. Soroptimista, onde serão feitas a reforma do telhado e pintura. A E.M. Papa João Paulo II receberá intervenções na quadra para a criação de um centro de treinamento de ginástica. Já E.M. Hermínia Matheus será adaptada para se tornar um Centro de Educação Infantil. A E.M. Governador Marcello Alencar receberá reforma estrutural e pintura e a E.M. Geraldo Ventura Dias, por melhorias no telhado e pintura.

R$ 150 mil investidos em reformas de 19 escolas em 2017 - Em 2017, mesmo com as dificuldades orçamentárias, a Secretaria de Educação promoveu reformas em 19 escolas, com o uso de R$ 150 mil. A quantidade de unidades com problemas – em especial as que foram reformadas entre 2015 e 2016 e que precisaram de mais reparos em tão pouco tempo – estão em um relatório que foi entregue ao Ministério Público. No ano passado, alunos de uma escola inteira, no Independência, tiveram de ser transferido para outra unidade, por conta das péssimas condições do prédio. No Bingen, um Centro de Educação Infantil foi transferido porque a Defesa Civil interditou o prédio.

“Em 2017 a Secretaria de Educação promoveu ainda reparos emergenciais em outras 50 unidades escolares. Nesses locais foram realizadas manutenção por problemas de vazamento, eletricidade, pinturas e necessidade de adaptações dos espaços para melhor atendimento dos alunos”, explicou o diretor do Departamento de Obras e Transportes da Secretaria de Educação, Luiz Antônio Romão. 

Leia também Vagas em creches predominam entre ações judiciais na área de educação

Um estudo sobre a judicialização da educação básica no Brasil mostra que as principais causas de açõe...

Leia também Inscrições para o Encceja vão até 27 de abril

As inscrições para o Exame Nacional para Certificação de Competências de Jovens e Adultos (Encceja Nacional) deste a...